Bandidos usam número duplicado do BRB para aplicar golpes

O Sinpro acabou de ser informado que criminosos estão ligando para professores(as) ou orientadores(as) educacionais por um número duplicado do Banco de Brasília (BRB). Segundo a denúncia, os estelionatários ligam pelo telefone 3322-1515 – contato oficial do banco, mas clonado – informando que o mobile havia sido duplicado e que um PIX com um valor alto havia sido feito. Para corrigir o problema, os falsários enviam um link e pedem para a pessoa atualizar o aplicativo. Não abra o link. Trata-se de um golpe!

Após a primeira denúncia, representantes do sindicato entraram em contato com o BRB, que afirmou não fazer este tipo de ligação. Esta é mais uma modalidade de golpe utilizado por criminosos, que utilizam de vários mecanismos para tentar subtrair algum tipo de valor em dinheiro da categoria.

Para facilitar a compreensão de todos(as) sobre as estratégias utilizadas pelos golpistas, seguem, abaixo, todas as versões usadas pelos criminosos:

 

Golpe 1

Criminosos ligam para a casa de educadores(as) informando que foi liberado o alvará de precatório para pagamento. Em seguida, dizem que a vítima tem mais de R$ 100 mil para receber, pedem para ligar no número 99639-2111 e solicitam depósito de um valor na conta: NEXT 237 – AG: 3728 – CONTA 609240-3 (Anderson Fabio de Oliveira – CPF: 031.729.793-77). É importante ficar atento, pois a conversa é feita em aplicativo com perfil que leva a foto da logo do Sinpro-DF.

 

Golpe 2

Para o furto via telefone, usam vários nomes. O nome “Cláudia Maria Rodrigues”, que utiliza o telefone fixo 3181-0041 e o celular/WhatsApp, 96519820, é um dos denunciados pela categoria. O Sinpro-DF informa que o nome “Cláudia Maria Rodrigues”, utilizado pela quadrilha, pertence a uma advogada que também está sendo duramente prejudicada pelo bando. Ela avisou ao Sinpro-DF que já denunciou o caso à polícia e tem Boletim de Ocorrência para comprovar o uso indevido do nome dela. O outro nome usado é “Leonardo Mota” (Núcleo Bancário), com o telefone 3181-0285. Um terceiro nome identificado é “Dr. Marcelo Ricardo”, com o número de telefone 99849-7364.

 

Golpe 3

Para extorquir dinheiro das vítimas, a pessoa que realiza a chamada se passa por diretor, ex-diretor ou funcionário da Secretaria de Assuntos Jurídicos, Trabalhistas e Socioeconômicos do Sinpro-DF. Segundo denúncias realizadas ao Sindicato, em alguns casos, o golpista se apresenta como Dr. Daniel ou Dr. Dimas, e chega a utilizar em sua foto de perfil de WhatsApp a logomarca do Sinpro-DF. Em seguida, o farsante solicita depósito em conta bancária vinculada a uma suposta pessoa com nome de Priscila.

 

Golpe 4

Outra modalidade é o golpe com transferência por PIX. Assim como os outros métodos, o golpista solicita um valor para liberar uma quantia à vítima. No caso de transferência por PIX, não há um sistema de retorno ou cancelamento do envio.

 

Golpe 5

Nesta modalidade, o golpista envia à vítima, via WhatsApp ou e-mail, documento simulando papel timbrado do Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT). O documento ainda leva o nome de dirigentes do Sinpro-DF. No último relatado ao Sinpro-DF, constava o nome da dirigente Silvia Canabrava. O envio é feito posteriormente a uma ligação, em que o criminoso confirma vários dados da vítima, como nome completo, CPF e nome do pai e da mãe.

 

Golpe 6

O golpe mais recente consiste no envio de carta nominal, com logomarca de escritório de advocacia fantasma. O documento falso é enviado pelos Correios e traz uma série de argumentos jurídicos bem fundamentados, além de endereço de e-mail, telefones e assinatura com registro da OAB.

 

Golpe 7

O primeiro golpe de 2022 chega por whatsapp e vem supostamente do “Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, DF”. É nominal, informa que o pagamento do precatório referente ao processo da pessoa está liberado para a data de hoje, “primeira ou segunda parcela”. O titular deverá entrar em contato com uma “Dra CHRYSTIANE MAIA GUERCO FARIA LUCAS MORI (Oab: 38015/Df)” para solicitação do recolhimento dos alvarás de liberação do precátorio, nos telefones (061) 99687-2994 ou (061) 99667-9219 (outros números também são usados nesse golpe), e se a pessoa não entrar em contato até às 15h, deverá esperar “uma segunda chamada com carência de tempo de 5 a 10 anos”. Mas é golpe.

 

Confira abaixo algumas matérias que falam sobre o golpe telefônico:

PROFESSORES DO DF SÃO ALVO DE GOLPE TELEFÔNICO

GOLPISTAS USAM NOME DE DIRETORA DO SINPRO-DF E DOCUMENTO FALSO

CUIDADO COM O GOLPE! QUADRILHAS CONTINUAM TENTANDO EXTORQUIR PROFESSORES

GOLPISTAS USAM NOME DE DIRETORA DO SINPRO-DF E DOCUMENTO FALSO

ATENÇÃO PARA GOLPES CONTRA PROFESSORES!

PROFESSORA CAI EM NOVO GOLPE DE TELEFONE E PERDE R$ 71 MIL PELO PIX

CONFIRA QUEM SÃO OS GOLPISTAS QUE TENTAM DAR GOLPE NA CATEGORIA POR TELEFONE

QUADRILHA CONTINUA USANDO O GOLPE DO TELEFONE PARA ARRANCAR DINHEIRO DE PROFESSORES

GOLPISTAS CONTINUAM TENTANDO DAR GOLPE NA CATEGORIA POR TELEFONE

PROFESSORES SÃO ALVO DE GOLPE TELEFÔNICO

VAZAMENTO DE DADOS AJUDOU GOLPISTAS NO GOLPE DO TELEFONE

GOLPISTAS FALAM EM MP PARA ENGANAR PROFESSOR

SINDICALIZADOS SÃO ALVO DE GOLPE TELEFÔNICO