Paulo Freire cria método e alfabetiza adultos em 45 dias

Entre 1959 e 2000, o educador Paulo Freire publicou muitas obras. Por causa de sua pesquisa e trabalhos na área da educação, ele recebeu 48 prêmios concedidos por organizações nacionais, internacionais e por vários países. Freire dizia que “a educação é um ato de amor, por isso, um ato de coragem. Não pode temer o debate. A análise da realidade. Não pode fugir à discussão criadora, sob pena de ser uma farsa”. Nesta segunda matéria da série “Paulo Freire: vida e obra”, que faz parte da “Semana Paulo Freire – 99 anos”, o Sinpro-DF registra seus primeiros passos na transformação da educação brasileira.
 
Considera-se como sua primeira obra, o livro intitulado “Educação como prática da liberdade”. Nessa obra, Freire expõe seu método de alfabetização de adultos minuciosamente, contextualizando-o, historicamente, com pressupostos filosóficos e políticos. Publicado em 1967, o livro foi antecedido por sua experiência de Angicos e por sua tese, de 1959, intitulada “Educação e atualidade brasileira”, escrita para o concurso público na cadeira de História e Filosofia da Educação na Escola de Belas Artes da Universidade de Recife.
 
Nessa tese, ele aponta princípios para a educação, tais como a ação dialógica, a organicidade da educação (contexto histórico-social), a práxis refletiva (ação-reflexão-ação) e a criticidade (consciência crítica). O ingresso na universidade, local em que iniciou a construção de sua carreira de professor, possibilitou-lhe realizar as primeiras experiências de alfabetização de adultos. Essas experiências resultaram na denominada “experiência de Angicos”, em 1963, que causou alvoroço na cidade. Ele ensinou 300 adultos a ler e a escrever em 45 dias. O método foi adotado pelo Estado de Pernambuco. Com o método criado e desenvolvido por ele, foi possível a alfabetização de jovens e adultos em cerca de 40 horas e com baixos custos.
 
Esse método inspirou o Plano Nacional de Alfabetização, que começou a ser executado pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) no governo de João Goulart (1961-1964), um governo abreviado pelo golpe civil-militar de 1964, que resultou em 21 anos de ditadura e no exílio de Paulo Freire. Paulo Reglus Neves Freire era pernambucano. Nasceu no dia 19 de setembro de 2021, em Recife. De família pobre, era filho de um policial militar e uma dona de casa, experimentou, juntamente com seus três irmãos, todas as dificuldades de sobrevivência. Com bolsa de estudo, conseguiu superar por meio da educação.
 
Nesta segunda matéria da série, o Sinpro-DF indica dois livros. Primeiramente, sua tese “Educação e atualidade brasileira”. Segundamente, sua primeira obra: “Educação como prática da liberdade”. Boa leitura!

Confira, a seguir, a primeira matéria da série:
Sinpro-DF inicia Semana Paulo Freire com série sobre vida e obra

Skip to content