Natal não precisa ser cancelado, mas famílias precisam se prevenir. Confira como

Fiocruz lança cartilha com dicas de prevenção contra Covid. Especialistas falam sobre questão emocional ligada a festas de fim de ano.  Leia e decida se vai se cuidar e participar ou se é melhor não ir a festas.

A segunda onda da pandemia do novo coronavírus está lotando leitos de enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em todo o país, o número de mortes e casos confirmados está chegando próximo ao pico registrado em julho, mas o comécio permanece aberto e, em alguns estados, como no Rio, apesar da tragédia, os shoppings estão ficando 24 horas abertos.

Ninguém quer saber de cancelar o Natal, mas é preciso ao menos tentar se prevenir, mesmo sabendo que “nenhuma medida é capaz de impedir totalmente a transmissão da Covid-19”, como diz a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em uma cartilha onde dá orientações para diminuir os riscos de transmissão durante o período de festas de fim de ano.

Outros especialistas ouvidos pelo PortalCUT, entre eles psiquiatras, psicólogos e infectologistas, deram dicas relacionadas as questões emocionais e de forma de prevenção simples que complementam as orientações da Fiocruz, que foram divulgadas tanto em formato de cartilha, disponível online, quanto em cards informativos que podem ser compartilhados pelo WhatsApp e demais redes sociais.

As dicas dos especialistas ouvidos pelo Portal CUT e dos que fizeram a cartilha da  Fiocruz vão desde não abraçar, não beijar, não cantar para não espalhar gotículas de saliva até como preparar e servir os alimentos, a organização do ambiente e medidas gerais de proteção tanto para quem vai receber outras pessoas em sua casa, como quem vai para algum evento. Leia aqui a íntegra da cartilha.

Confira abaixo as principais orientações da Fiocruz

Para quem vai receber convidados

–  Quem for receber convidados ou celebrar as festas fora de casa deve usar máscara sempre que não estiver comendo ou bebendo;

– manter a distância dos demais convidados de 2 metros ou pelo menos um metros e meio,

– evitar apertos de mão e abraços,

– lavar ou higienizar com álcool 70 as mãos com frequência,

– não deve compartilhar copos e talheres.

– as bebidas devem ser oferecidas em embalagens individuais, como latas ou garrafas, arrumadas em baldes com gelo, para que as pessoas possam se servir sozinhas, em especial para quem vai fazer eventos.

– os condimentos, molhos para salada ou temperos devem ser embalados individualmente, sempre que possível, também no caso de quem vai fazer eventos.

– a louça deve ser lavada em água corrente e com detergente, ou na máquina de lavar louças, em todos os casos, festa em casa ou eventos.

Grupos de risco que devem evitar sair de casa

– Quem teve contato com a doença ou está com sintomas;

– aqueles que estão com sintomas relacionados à Covid-19;

– quem já tem o diagnóstico da doença confirmado;

– quem ainda está no período de 14 dias desde que teve os primeiros sintomas relacionados à Covid-19, mesmo que não tenha feito um teste de diagnóstico;

–  aqueles que estão aguardando o resultado de um teste molecular para saber se estão com covid-19; e,

– quem manteve contato com alguém que teve a doença nos últimos 14 dias.

– pessoas que fazem parte de algum grupo de risco para casos graves de Covid-19 ou moram com alguém que faz parte desse grupo também devem se proteger e evitar as festas.

– Aqueles que têm mais risco para casos graves são os portadores de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, asma, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal crônica em estágio avançado, imunodepressão provocada pelo tratamento de doenças autoimunes, como lúpus ou câncer; pessoas acima de 60 anos de idade, fumantes, gestantes, mulheres em resguardo e crianças menores de 5 anos.

Dicas de outros especialistas

1) É possível se reunir com segurança?

Apesar de alguns especialistas dizerem que a aposta mais segura é não ter reunião de Natal este ano, sim, é possível fazer uma festa com segurança, desde que essa reunião seja com pessoas dos mesmos grupos familiares, que já estão convivendo umas com as outras na mesma casa nos últimos meses e que estejam adotando medidas para reduzir a disseminação da Covid-19, como o uso de máscaras, álcool em gel, distanciamento social, limpeza da casa e de tudo que é adquirido etc.

O ideal é reunir no máximo entre oito a dez pessoas nessas festas.

Com os demais grupos, o ideal é a as reuniões sejam virtuais.

2) O que fazer quando a familia é grande?

Alguns especialistas sugerem que as famílias maiores negociem, façam uma escala e reunam grupos de, no máximo, oito pessoas por vez – um grupo vai no jantar do dia 24 e outro no almoço no dia 25 -, por exemplo.

3) Existe um lugar ideal para as reuniões presenciais com menos riscos de contaminação?

O ideal é que nos espaços as pessoas possam ficar 1,80m longe umas das outras, e que sejam lugares abertos, especialmente se a festa for também para pessoas de núcleos familiares que não convivem na mesma casa.

Em lugares fechados, é preciso manter todas as janelas abertas para ventilar o ambiente.

Seja lugar aberto ou fechado, especialistas orientam as pessoas a usarem máscaras e tirarem apenas quando forem comer ou beber. É preciso ter atenção máxima quanto ao distanciamento porque as pessoas vão tirar a máscara e continuar conversando.

5) O que as pessoas devem evitar fazer nas festas?

As pessoas devem evitar cantar porque quanto mais alto se fala ou canta, maior o risco da disseminação de partículas.

6) Que atividades no fim de ano aumentam o risco de contrair Covid-19?

Aeroportos e ônibus lotados, postos de gasolina e paradas de descanso nas viagens de carros e claro, estabelecimentos comercicais lotados.

7) Um resumo das regras recomendadas para se proteger neste Natal:

– Distanciamento social;

 – Nada de beijos e abraços;

– Tirar os sapatos na entrada;

– Abusar do uso do álcool em gel e lavar as mãos, em casos de contatos pessoais;

– Evitar levar as mãos ao rosto;

 – Uso de máscaras quando no elevador e se não estiver ingerindo comida;

– Não compartilhar objetos pessoais como copos, pratos e talheres;

–  A ceia deve ficar em no fogão ou numa bancada distante da circulação de pessoas para reduzir o contato;

– Estimular que crianças higienizem as mãos e não compartilhem brinquedos;

–  Não comparecer às festas familiares se tiver algum desses sintomas: febre,  dor de cabeça, coriza , diarreia,  vômito, manchas no corpo, náusea, falta de ar,  dor de garganta e  perdas de cheiro e paladar e;

– Para famílias muito grandes, recomenda-se também dividir os membros em dois grupos e realizar dois encontros na véspera e no dia de Natal.

Reprodução: 

Skip to content