Pesquisa de Acessibilidade

Ser obrigado a utilizar um diário de papel, não ter um computador adaptado, andar com dificuldades e ainda assim, precisar subir escadas para chegar à sala de aula, são algumas formas de exclusão que os servidores(as) com deficiência enfrentam ao serem admitidos para trabalhar na Secretaria de Educação do Distrito Federal.

Imagine ter que pedir um favor ou implorar para trabalhar em decorrência do descaso da Instituição em acolher as diferenças. Qual o sentido de um concurso que abre vagas para candidatos com deficiência, mas não prevê condições de trabalho que garantam a participação plena e igualitária desses servidores(as)?.  Atitude que coloca as múltiplas deficiências como pesos a serem carregados ou objetos a serem descartados na caixa das coisas inúteis.

Na contramão das leis que garantem a proteção da pessoa com deficiência, parece haver algo de falho em não pensar em como será executado o trabalho. Um tipo de discriminação que contrata, mas não promove, protege e assegura o direito de trabalhar. A reunião do coletivo de PCD’s conseguiu avançar nos pleitos feitos em relação à pesquisa científica sobre a acessibilidade das escolas públicas do DF. “O site do Sinpro-DF possui agora acessibilidades, a sede do sindicato adequou sua sede para acessibilidade, ou seja, vários pleitos feitos foram atendidos. Agora precisamos juntos lutarmos para conquistar respeito e direitos frente a tantas questões que ainda faltam nos espaços das escolas”, afirma o diretor do Sinpro Alberto Ribeiro.

Esse é o resultado do espaço de escuta feito pelo Sinpro, por meio da Secretaria para Assuntos de Saúde do Trabalhador, no último dia (13), com a participação de 100 (cem) pessoas com deficiência no lançamento da pesquisa de acessibilidade nas escolas da Rede de Ensino do Distrito Federal.

Para o diretor do Sinpro Carlos Maciel, promover a inclusão das pessoas com deficiência, é um dever de todos, e não somente por questões políticas, mas também, por dever social e de responsabilidade. “As obrigações que determinam as leis que tratam os direitos das pessoas com deficiência, ainda não foram atendidas em sua plenitude, por esse motivo são importantes instrumentos. A acessibilidade é um bem coletivo e oportuniza condições de trabalho segura para todos. Lutar para garantir acessibilidade como princípio, é permitir a participação de todos independente de suas limitações. Aproveito para lembrar o aniversário da Lei nº 13.146/2015 LBI que é uma das mais importantes leis sobre a pessoa com deficiência” afirma Carlos.

Confira abaixo os resultados da pesquisa.

Pesquisa Acessibilidade Página Sinpro (1)

 

Relatório_Pesquisa_Acessibilidade

 

Skip to content