Enquanto Bolsonaro ataca, servidores lançam jornada para defender serviço público

notice

Nesta quinta-feira (3), mesmo dia em que o governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL) encaminha ao Congresso Nacional sua proposta de reforma Administrativa, na verdade mais um ataque ao serviço e aos servidores públicos do Brasil, milhares de trabalhadores dos serviços públicos federal, estaduais e municipais, representantes de sindicatos, da CUT e demais centrais, e movimentos sociais lançam a Jornada de Defesa dos Serviços Públicos. Uma campanha que visa dialogar com o conjunto da população para mostrar a importância do Estado e dos servidores públicos para o bem estar social, para a saúde, a educação e garantia de direitos, como os previdenciários.

O ato de lançamento da mobilização unificada será virtual, a partir das 18 horas, pelas páginas do Facebook da CUT e das Confederações dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef) e dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam), que estão à frente da campanha. As outras diversas entidades envolvidas com a jornada também reproduzirão a Live.A Jornada de Defesa dos Serviços Públicos também tem uma programação de mobilização digital [mais informações abaixo].

Reforma Administrativa

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC), apelidada de reforma Administrativa, que altera disposições sobre servidores, empregados públicos e organização administrativa, como diz despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, deve ser encaminhada ao Congresso até o final do dia.

Seguindo seu estilo de manipular e distorcer as informações, Bolsonaro informou que a reforma não deve afetar atuais servidores, mas a PEC propõe redução de salários em até 25%, critica Sérgio Ronaldo da Silva, Secretário-Geral da Condsef/Fenadsef.

“Com o argumento falho de uma suposta necessidade de economia do Estado em tempos de pandemia, o governo quer encerrar serviços públicos para dar espaço para a iniciativa privada. É um ataque inconstitucional, que atropelará a população se ela não se mobilizar para proteger o que é seu por direito”, alertou o dirigente em nota publicada no site da entidade.

Jornada de Luta

Este novo ataca reforça mais ainda a Jornada de Lutas, promovida pelo Núcleo do Trabalho do PT na Câmara, que tem como coordenador o deputado Rogério Correia (PT-MG).  Na programação estão previstos dois seminários temáticos que acontecerão nas próximas quintas-feiras de setembro, até o dia 24, sempre no mesmo horário e nos mesmos canais digitais. No dia 10 a atividade abordará mitos e verdades sobre empresas e serviços públicos e seus trabalhadores e no último dia serão debatidas privatizações, patrimônio e riquezas nacionais e o papel do Estado no projeto de desenvolvimento do Brasil. Um Ato Nacional em Defesa dos Servidores e Serviços Públicos acontecerá no dia 30. 

“É preciso dialogar com toda a população sobre a importância dos serviços e dos servidores públicos para o bem estar social de todos e todas e desmistificar que servidores só representam um custo, explicar que o serviço público só não é melhor porque não tem investismeno”, pontua a presidenta da Confetam, Vilani Oliveira.

A dirigente afirma que as entidades vão fazer uma campanha unitária e ampla para falar do descaso de Bolsonaro com o povo, porque ao sucatear os serviços públicos e atacar servidores públicos quem perde é a população que não terá mais acesso aos serviços públicos.

“Neste momento de pandemia a gente viu a importância do SUS [Sistema Único de saúde] e dos trabalhadores da saúde que estão na linha de frente no combate à Covid-19. Mas ao invés de fortalecer o papel do Estado e valorizar os profissionais, o governo Bolsonaro continua atacando políticas públicas e os direitos dos trabalhadores dos serviços básicos e essenciais, que estão arriscando suas vidas para salvar outras”, afirma   Vilani Oliveira.  

Para a dirigente esta campanha precisa adentrar os municípios, os bairros, as ruas, nas casas das pessoas, os locais de trabalho e em cada canto deste país. Vilani explica que a ideia é falar sobre o sucateamento nos serviços e o descaso com os servidores públicos, ambos vitimas da falta de investimentos e descaso do governo. Ela também ressalta a importância da unidade da CUT, demais centrais, movimentos sociais para o fortalecimento da luta.

“A CUT foi fundamental neste processo. Foi a partir da nossa Central que fomos provocados a ampliar a unidade da mobilização. Hoje temos uma ampla participação de entidades para lutar contra a redução do Estado e junto com a Condsef conseguimos construir isso. É um momento histórico para gente, porque esta luta não tem dono e pertence à todos nós, que resistimos e não podemos ficar calados diante da destruição do bem estar social. A nossa luta é pelo povo e pelo desenvolvimento do país”.

Mobilização Digital: como aderir à nossa Luta:

  1. Marque na agenda a data de lançamento: 3 de setembro, quinta-feira, às 18 horas Pelas páginas do Facebook da: CUTCondesef e Confetam. E pelo Youtube da Condsef.
  2. Convoque as bases e convide a população em geral, especialmente pessoas próximas;
  3. Dialogue com as pessoas sobre a importância dos serviços públicos e a necessidade de proteção dos trabalhadores da administração pública;
  4. Grave vídeos e compartilhe nas redes sociais, alertando para o desmonte do Estado e convidando todos/as para aderir à Jornada;
  5. Acompanhe as divulgações da Confetam sobre as ações da Jornada e compartilhe sempre.

Entidades Nacionais participam da Jornada:

CUT – Central Única dos Trabalhadores

CTB – Central de Trabalhadores e Trabalhadores do Brasil

Intersindical

Força Sindical

PUBLICA

Nova Central Sindical de Trabalhadores

CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros

CGTB – Central Geral dos Trabalhadores do Brasil

UGT – União Geral dos Trabalhadores

Condsef – Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público

Confetam – Confederação dos (as) Trabalhadores (as) no Serviço Público Municipal

CNTE – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

CSPB – Confederação dos Servidores Públicos do Brasil

CNTSS – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social

CNTS – Confederação Nacional dos Trabalhadores da Saúde

CONACATE – Confederação Nacional das Carreiras Típicas de Estado

Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares

FENASEPE – Federação Nacional dos Servidores Públicos Estaduais e do Distrito Federal

FUP – Federação Única dos Petroleiros

FENAE – Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal

FNU – Federação Nacional dos Urbanitários

PROIFES – Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico

FENASPS – Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social

FENAFISCO – Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital

FENAJUFE – Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário e MPU

FASUBRA – Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil

ANAMATRA – Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho

ABI – Associação Brasileira de Imprensa

ANFIP – Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil

ABRAT – Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas

UnaReg – Associação dos Servidores das Agências Reguladoras Federais

SINASEFE – Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica

Sindicato Nacional dos Moedeiros

SINAIT – Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho

Sindilegis – Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e do Tribunal de Contas da União

ATENS SN – Sind. Nac. dos Técnicos de Nível Superior das Instituições Federais

Unacon Sindical – Auditores Federais de Finanças e Controle da Controladoria Geral da União e da Secretaria do Tesouro Nacional

Entidades Internacionais

Internacional de Serviços Públicos

IEAL – Internacional da Educação para a América Latina

Internacional de Trabalhadores da Construção e da Madeira.

*Matéria editada por Marize Muniz

Fonte: CUT

Skip to content