A Saúde acabou. E agora, Rodrigo?

Desde que assumiu o Buriti, Rollemberg tem adotado a estratégia de não investir no serviço público para justificar a privatização. É o que tenta fazer com a educação pública e foi o que fez com a saúde pública do Distrito Federal e com o Hospital de Base: suspendeu os investimentos, sucateou e o entregou à iniciativa privada, ou seja, às Organizações Sociais (OS).
O sistema de saúde pública, que já vinha sendo sucateado por governos neoliberais passados, piorou, propositadamente, na gestão de Rollemberg: deixou faltar remédios e retirou vários deles da lista de distribuição gratuita; deixou faltar mão de obra, medicamentos, equipamentos e todas as condições necessárias ao funcionamento decente de um hospital; desativou unidades importantes; piorou e desqualificou os atendimentos nos postos de saúde.
Além de sucatear a saúde, precarizou as condições de trabalho dos profissionais da área ao não pagar os direitos das categorias, causando diversas greves e paralisações. Ele transformou a saúde do DF em um caos e, com a privatização, o setor irá piorar e ficar mais caro. E agora, governador, como o senhor irá se explicar para a população?
Leia também:

Campanha do Sinpro denuncia descaso do GDF com a população de Brasília

Skip to content