Por administrador em 22/mar/2011

Sinpro repudia declaração discriminatória feita por deputado



Uma declaração do deputado Júlio Campos (DEM-MT), ao escolher o critério racial para distinguir o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa de seus 10 colegas, provocou polêmica no Congresso. Durante reunião da bancada do DEM na terça-feira (22/3) na Câmara, o parlamentar e ex-governador de Mato Grosso referiu-se a Barbosa como o “moreno escuro lá no Supremo”. Campos discutia o tema do foro privilegiado quando fez a declaração. “Esta história de foro privilegiado não dá em nada. O nosso Ronaldo Cunha Lima precisou ter a coragem de renunciar ao cargo para não sair daqui algemado, e, depois, meus amigos, você cai nas mãos daquele moreno escuro lá no Supremo, aí, já viu”, afirmou.   Parlamentares negros e defensores de ações afirmativas contra o racismo reagiram com indignação.

NOTA: O Sinpro-DF por meio da Secretaria para Assuntos de Raça e Sexualidade repudia veementemente qualquer espécie de discriminação e lamenta que tal atitude tenha partido de um parlamentar que no Congresso Nacional deveria dar exemplo de combate a atos preconceituosos.  Tal declaração aconteceu justamente às vésperas do Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial  comemorado dia 21 de março.

Imprimir