Por administrador em 21/maio/2014

Servidores da UnB reforçam greve e ações após negativa do governo



Centenas de servidores técnico-administrativos da UnB se reuniram, nesta terça-feira (20), em assembleia no prédio da reitoria e decidiram, por unanimidade, dar continuidade à greve deflagrada no dia 17 de março. Diante da negativa de acordo por parte do governo e da reitoria da UnB, os trabalhadores reforçarão e massificarão as ações do movimento paredista.

Nessa segunda-feira (19), a Fasubra, federação que representa a categoria, se reuniu com representantes do Ministério do Planejamento – MPOG. Entretanto, a avaliação sobre o encontro foi negativa, já que foi reafirmado que não há margem para negociação com os trabalhadores. A expectativa era de que os representantes da pasta trouxessem aos líderes sindicais avanços quanto à pauta de reivindicações, já que no último dia 7, após ocupação das portarias do Ministério pela categoria, o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, recebeu os sindicalistas e pediu prazo de até o dia 22 deste mês para estudar possíveis avanços no pleito dos trabalhadores.

“Diante da negativa do governo, temos que fortalecer ainda mais nossa greve. A prioridade deste governo não é com a Educação. E o mesmo acontece aqui na UnB, pela administração da Universidade. Temos que dizer em alto e bom som que não vamos aceitar retiradas de direitos”, avalia o coordenador geral do Sintfub, Mauro Mendes.

Após a assembleia, os servidores subiram as rampas do prédio da reitoria para formalizar ao reitor da UnB, Ivan Camargo, o pedido de que seja convocada com urgência nova reunião do Conselho Universitário – Consuni para discutir a pauta de luta da categoria. Entretanto, o reitor não estava na Universidade. A opção foi formalizar o pedido para a vice-reitora, Sônia Báo, que não quis atender os grevistas.

A próxima assembleia dos servidores da UnB será na próxima terça-feira, dia 27, às 9h30, no prédio da reitoria.

Manifestação
No início da manha desta quarta-feira (21), manifestantes fecharam por duas horas o acesso à UnB pela L3 Norte. O objetivo do ato foi chamar a atenção da população para os problemas da categoria.

Clique aqui e veja a pauta de luta da categoria

Imprimir