Por administrador em 03/dez/2014

Pedagoga vislumbra um futuro melhor para a orientação educacional



RGB básicoMarcela lowA pedagoga Marcela Vietes de Mendonça Pedrosa, orientadora educacional no Centro de Ensino Médio (CEM) 01 do Gama acredita que o Dia do Orientador Educacional é data para reflexão sobre a situação da categoria. “É o momento de mostramos que a escassez de materiais e de outros recursos interfere negativamente na ação pedagógica e também o dia de mostrar que essa função essencial de apoio ao aluno, no suporte da gestão escolar e na assessoria de apoio”, afirma.

Marcela classifica a profissão de orientador(a) como fundamental porque os(as) pedagogos(as) que a exercem têm uma visão privilegiada da escola e pode assessorar a direção em todos os desafios que ela enfrenta, bem como com as dificuldades pessoais do(a) aluno(a).  Para ela, o(a) orientador(a), que está sempre articulado promovendo a participação da comunidade escolar, por exemplo, na eleição para diretor. E também na mobilização dos(as) alunos(as).

A pedagoga vislumbra um futuro melhor para a profissão. Afirma que o reconhecimento dessa função no país é mais acentuado no Distrito Federal graças à ação do Sinpro que tomou para si a luta pela ampliação do quadro de orientadores da Carreira do Magistério Público do DF. “Se hoje temos esse quadro de orientadores na Secretaria de Educação formando um corpo de profissionais, executando um trabalho qualificado no ensino público da capital federal é porque o Sinpro reconheceu nossa atividade como de grande importância dentro da escola, que contribui com o processo escolar”.

Dos 30 anos de serviço público, Marcela exerce a função de orientadora educacional há 17 anos. Ela assegura que o sucesso do trabalho dos orientadores que estão na rede pública de ensino não diminuiu em nada a necessidade de ampliação do serviço. “O(a) orientador (a) é um profissional engajado que gosta do que faz e está apto para lutar nas adversidades e enfrenta os desafios. A gente não espera uma condição adequada para lutarmos e fazemos a diferença na escola”, afirma a orientadora.

 

Orientadora: Marcela Vietes Pedrosa
Escola: CEM 01 Gama
Tempo de magistério: 17 anos de orientação educacional

 

Veja mais:

Reconhecimento é um dos maiores desafios para os orientadores

Orientadora educacional diz que desafio é trazer a juventude para a escola

 

Imprimir