Por administrador em 24/fev/2012

Não tenham dúvidas! É a mobilização que sempre garantirá nossas conquistas!



De uma coisa o Governo do Distrito Federal não pode acusar as professoras e os professores: de não buscarmos incessantemente a negociação. Isso é tão verdade que em 17 de novembro a categoria votou pelo indicativo de greve para o dia 8 de março, iniciando uma contagem regressiva, período durante o qual esperávamos sensibilizar o governo para a retomada do processo de negociação sobre os pontos da nossa pauta de reivindicações.

Essa postura, aliás, tem marcado a atuação da diretoria colegiada do Sinpro nas últimas gestões: negociar, negociar, negociar é uma estratégia mais de uma vez referendada pela categoria em assembleias. Mas toda essa aposta no diálogo dependeu sempre de um fator fundamental em qualquer movimento de trabalhadores: a forte determinação e mobilização da categoria. Foi assim em 2007, por exemplo, quando a força e a garra dos educadores possibilitou a conquista do Plano de Carreira, com garantia de reajuste para 2008, 2009 e 2010.  Já em 2002, 2005 e 2009 o impasse nas negociações nos levou à greve, e assim garantimos nossas conquistas.

Neste momento estamos buscando retomar as negociações, apesar do descaso demonstrado pelo GDF. Mas como sempre defendemos um sindicalismo que combina negociação e luta, estamos intensificando a mobilização nas escolas e o trabalho de esclarecimento da população sobre a legitimidade do nosso movimento. Este é um momento crucial da nossa campanha salarial e é fundamental que tenhamos consciência de que, qualquer que seja o governo, nossas conquistas serão proporcionais ao tamanho da nossa capacidade de mostrar que estamos unidos e dispostos a lutar.

Se não há espaço para negociação, não hesitaremos em recorrer ao legítimo recurso da greve, pois temos uma categoria firme e consciente em seu maior propósito: a reformulação do Plano de Carreira, para continuar a trilhar o caminho da isonomia salarial com outras carreiras de nível superior até 2014.

Todos juntos e fortes na próxima assembleia, dia 8 de março, às 9h30, com paralisação e indicativo de greve! Porque quem sabe faz a hora, não espera acontecer!

Imprimir