Por administrador em 01/out/2012

Matéria tendenciosa desrespeita organização sindical



O Sinpro manifesta o seu mais veemente repúdio à matéria veiculada no último domingo, 30, pelo Correio Braziliense, que dá a entender que os sindicatos do DF estão pagando pessoas para fazer a mobilização de seus movimentos grevistas. Consideramos que isso é uma agressão sem propósito  a entidades que lutam em defesa dos direitos dos seus associados.

A esse respeito o Sinpro tem a esclarecer que não paga “piqueteiros” e sim profissionais para auxiliar  no processo de distribuição de materiais  e na estruturação do movimento durante nossas mobilizações. O principal objetivo é dar celeridade ao trabalho, já que hoje existem mais de 600 escolas em todo o DF. De  maneira nenhuma eles são “grevistas de aluguel”, são trabalhadoras e trabalhadores que colaboram com a luta e são remunerados para isso, de maneira justa.

Lamentamos esses ataques, feitos especialmente contra a brava categoria dos bancários,  que, mesmo com tantas pressões de chefias, conduziu com valentia uma greve contra o arrocho salarial imposto pelos bancos.

Imprimir