Por administrador em 17/set/2013

Mais de 40% das matrículas em graduação a distância são em licenciatura



As matrículas em cursos de licenciatura continuam com baixo ritmo de crescimento, de acordo com números divulgados nesta terça-feira (17) pelo Ministério da Educação. Entre 2011 e 2012, o aumento de matrículas registrado foi de 0,8% –no ano passado, do total de 7 milhões de matrículas em graduação, 1,3 milhão tinham esse perfil (19,5% do total).

O peso das licenciaturas, no entanto, aumenta quando se trata apenas do ensino a distância: do total de 1,1 milhão de matrículas de graduação nessa modalidade, 40,4% são de cursos de licenciatura, que formam professores do ensino básico.

A carência de docentes nas escolas públicas é um fator que preocupa o governo federal –a pasta lança nesta quarta-feira (18) programa para estimular a docência entre os alunos do ensino médio.

Na terça, o MEC divulgou os números do censo da educação superior 2012. Ao todo, o país registrou um total de 7.037.688 matrículas, crescimento de 4,4% em comparação ao número em 2011. Esse percentual ficou um pouco abaixo do crescimento aferido entre 2010 e 2011: para o ministro Aloizio Mercadante (Educação), a fusão de instituições privadas de ensino é um dos fatores que justifica essa ligeira redução.

O crescimento de um ano para outro foi motivado principalmente pelas públicas: enquanto essas cresceram num ritmo de 7%, as privadas tiveram metade desse índice (3,5%).

ENSINO NOTURNO

Dados parciais do levantamento mostram ainda um crescimento de matrículas no período noturno. Em 2012, elas representavam 63,1% do total, frente a 56% em 2000.

Para o ministro, isso representa uma maior inclusão social. “A população que já passou da faixa [etária que frequenta] o ensino universitário voltou a estudar. Essa é a única forma que um pai de família que sustenta a família encontra [para estudar]”, disse o ministro.

A maior parte dessas matrículas está no setor privado: 73% das matrículas em particulares são ofertadas a noite. Nas federais, a lógica se inverte: 70% das matrículas nessas públicas são em horário diurno.

O censo do ensino superior faz uma radiografia das 2.416 instituições de ensino superior no Brasil, bem como dos docentes, ingressantes e concluintes dos cursos de graduação e pós-graduação.

Folha (Brasília) 17/09

Imprimir