Por administrador em 10/abr/2012

Governo não apresenta proposta e categoria decide manter a greve



Trinta dias de greve não foram suficientes para fazer o governo honrar os compromissos assumidos com as professoras e professores em abril do ano passado. A resposta a esse descaso não poderia ser diferente: a categoria continuará em greve. A decisão foi tomada pela maioria absoluta dos presentes na assembleia geral, na manhã desta terça-feira, dia 10, realizada na Praça do Buriti. Mais uma vez, alunas e alunos das escolas públicas compareceram à assembleia para demonstrar seu apoio às educadoras e educadores.

Embora alardeie na imprensa que tem intenção de negociar com a categoria, em nenhuma das reuniões ocorridas, o GDF apresentou qualquer proposta concreta que atendesse aos anseios das professoras e professores. Diz que quer o fim da greve, mas demonstra não ter pressa. Um exemplo claro disso é que na reunião de ontem (dia 9), os representantes do governo afirmaram que “vão estudar uma proposta”, como se a questão fosse nova.

Convenientemente, nossos governantes se esqueceram dos documentos por eles assinados no ano passado, onde se comprometeram, dentre outros, a fazer a reestruturação do Plano de Carreira e implantar nosso Plano de Saúde. Esse desrespeito está difícil de ser engolido pela categoria que, indignada, promete fortalecer cada vez mais a mobilização com bandeiraços, carreatas e visitas de conscientização.

Ato público – Da Praça do Buriti, munida de bandeiras, apitos e vuvuzelas, a categoria seguiu unida até a porta do Palácio do Buriti, ocupando toda a pista, para pressionar o governador Agnelo Queiroz a receber a comissão de negociação. O objetivo é a construção efetiva de uma proposta que atenda às reivindicações das professoras e professores do ensino público do DF. Neste momento, a categoria aguarda ser atendida pelo governador.

Conforme também aprovado na assembleia, a próxima assembleia geral será na próxima sexta-feira, dia 13, data em que completa um ano que o GDF assinou o acordo, se comprometendo a atender às nossas reivindicações. A assembleia terá início às 9h30 e será realizada no estacionamento do Teatro Nacional.

Imprimir