Por administrador em 07/abr/2014

Democratização: é chegada a hora do basta!



Rosilene Corrêa [i]

Democratizar a comunicação pode parecer, a princípio, se tratar de uma pauta política ainda meio surreal. Porém, é um grande engano não assumirmos esta pauta como responsabilidade de todos nós.

Embora com a “ainda” liberdade de comunicação que a internet nos permite, o que temos no Brasil é o domínio da comunicação por algumas poucas famílias, que impõem sua opinião e manipulam informações.

Temos uma grande mídia cada vez mais partidarizada, preconceituosa, machista que criminaliza os movimentos sociais e desqualifica as manifestações e as lutas populares. A ditadura da comunicação brasileira é tamanha que pode-se resumi-la no slogan: “se não saiu na Globo não é notícia”.

O Brasil se distancia de seus vizinhos latino-americanos na democratização da mídia, demostrando um conservadorismo danoso à sociedade. Nossos “hermanos” argentinos nos deram, recentemente, o exemplo do caminho a seguir para a regulamentação da mídia, a qual permita sua pluralidade e diversidade.

O Congresso Nacional, que deveria ser a voz da população, não tem tido uma postura em defesa da democratização da comunicação, o que reforça a necessidade urgente de uma reforma política no país, que, dentre outros ganhos, evitará as “dívidas de campanha”, inclusive com aqueles que dominam a mídia.

É chegada a hora – já com algum atraso – de nos empenharmos para elevar a pressão popular pela regulamentação da mídia. Não podemos esperar um desenvolvimento social pleno e uma democracia sólida e madura se o País se mantiver engessado em seu arcaico sistema midiático.

Só seremos uma nação verdadeiramente livre com a democratização da comunicação brasileira.

Para acompanhar as campanhas pela  democratização acesse www.fndc.org.br.

[i] Diretora do Sinpro

Imprimir