Por administrador em 12/mar/2012

Corte de ponto não nos intimida: categoria tem compromisso com estudantes



Em mais uma demonstração de postura autoritária, o governo anunciou hoje, 12, por meio do seu porta-voz, que vai cortar o ponto dos professores da rede pública que aderiram à greve. Além de não responder às duas solicitações de negociação feitas pelo Sinpro (uma na quinta e outra hoje, 12/03), o governo usa do expediente da intimidação para tentar desmobilizar a categoria, da mesma forma que fizeram outros governos.

Mas não serão declarações como essa que farão com que os professores se amedrontem, até porque sempre tivemos compromisso com a reposição das aulas em todas as paralisações que realizamos, porque temos compromisso com nossos alunos. E por conta disso negociamos o pagamento mediante reposição dos dias parados.

De acordo com o Portal G1, a “ordem” do governador Agnelo Queiroz é “insistir” no diálogo! Como assim? Se o diálogo foi interrompido pelo governo em novembro e não foi retomado até o momento! Sim, porque não podemos considerar negociações as duas reuniões que antecederam a nossa assembleia e que na verdade foram apenas para informar que não pretendiam cumprir o que foi acertado.

O que nos levou à greve é um acordo de abril do ano passado que não foi cumprido, principalmente em dois itens: plano de saúde e reestruturação do plano de carreira, para que ao longo de 2012, 2013 e 2014 conquistássemos a isonomia salarial com as demais carreiras de nível superior.

A nossa resposta será intensificar a mobilização e mostrar que estamos unidos e preparados para enfrentar qualquer ataque a nossa organização.

 

Imprimir