Por administrador em 04/jan/2013

Comunicação 2012, um balanço: não foi fácil, e nunca será



Como fazer que uma população majoritariamente feliz se dê conta de que seu direito fundamental à liberdade de expressão está sendo exercido apenas por uns poucos oligopólios que defendem os seus (deles) interesses como se fossem o interesse publico? Mais ainda: como esperar que um governo em lua-de-mel com a “opinião pública” corra o risco de enfrentar o enorme poder simbólico de oligopólios de mídia, capaz de destruir reputações públicas construídas ao longo de uma vida inteira em apenas alguns segundos? O artigo é de Venício Lima.

Para ler o artigo completo publicado no Boletim Carta Maior acesse:

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=21460&boletim_id=1483&componente_id=25257

 

Imprimir