Por administrador em 24/fev/2012

Chega de história! Contratação de concursados já!



Todo o início de ano letivo é a mesma história: para justificar a sua falta de planejamento e organização, a Secretaria de Educação culpa o “grande número de atestados médicos” pela falta de professores nas escolas públicas do DF. Mais uma vez querem imputar aos educadores doentes a culpa pela crônica carência de profissionais na rede. A contratação temporária, que devia ser usada apenas para os casos de vagas provisórias tem sido regra para suprir as vagas definitivas e mesmo assim não é atendida a demanda das escolas.
A própria Secretaria divulgou que em 2011 cerca de 900 professores (as) se aposentaram, mas nesse período nenhum professor concursado foi chamado. Enquanto isso centenas de concursados aguardam convocação. Quem deve ser responsabilizado pela atual situação de carência, ainda no início do ano letivo? Os gestores que não se organizam e não priorizam verdadeiramente a educação ou os profissionais doentes que receberam um atestado de um médico determinando que ele se ausente do trabalho para se recuperar?
Há tempos o Sinpro vem alertando para o adoecimento da categoria e para a necessidade de um programa de prevenção e cuidado à saúde no âmbito da Secretaria de Educação. Mas nada é feito e o número de readaptados só aumenta sem que nada seja feito de concreto para melhorar as condições de trabalho e saúde dos educadores. Nem mesmo o plano de saúde, uma conquista da categoria estendida a todos os servidores do DF, foi implantado até agora.

Imprimir