Por administrador em 11/jun/2014

Atos e assembleia movimentam a Esplanada no Dia Nacional de Luta



Reunidos em assembleia nesta terça-feira (10), no Espaço do Servidor (Esplanada dos Ministérios), os servidores públicos federais no Distrito Federal realizaram uma manifestação em defesa da pauta de reivindicação da Campanha Salarial 2014 e avaliaram a mobilização da categoria. A atividade realizada pelo Sindsep-DF faz parte de mais um Dia Nacional de Luta do funcionalismo público, realizado em todo o País, agendado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Federal – Condsef, em plenária realizada dia 29 de maio. Atividades como esta serão realizadas também no dia 25 deste mês e no dia 3 de julho.

De acordo com o secretário geral do Sindsep-DF, sindicato que representa a categoria, Oton Pereira Neves, “esta é uma das campanhas mais difíceis que os servidores públicos já enfrentaram”. “Para a gente é incompreensível a insensibilidade do governo Dilma. Temos uma dificuldade enorme em dialogar com o governo. Eles apontam apenas o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento para conversar com a gente; a presidente Dilma não determina que a ministra da pasta, Miriam Belchior, receba as entidades nacionais; e o próprio Palácio do Planalto não se dispõe a ter este diálogo. O governo precisa ter um pouco mais de coerência entre o que fala e o que faz”, avalia Oton Pererira Neves.

Segundo secretário geral do Sindsep-DF, entre as principais reivindicações dos servidores públicos federais estão a antecipação da parcela de reajuste salarial de 2015 para 2014; a incorporação das gratificações ao vencimento básico; a equiparação dos benefícios do poder Executivo com os demais Poderes brasileiros; e a regulamentação da Convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho – OIT, que regula direitos dos servidores públicos.

Servidores das universidades federais
Os servidores técnico-administrativos das universidades federais, em greve desde o dia 17 de março, continuam mobilizados para pressionar o governo a atender as reivindicações da categoria. Na pauta de luta estão os pontos comuns reivindicados pelo funcionalismo público, além de pautas específicas, como a jornada de trabalho de 30 horas semanais.

Nesta terça-feira (10), o Comando Nacional de Greve da Fasubra, federação que representa a categoria, e servidores técnico-administrativos da UnB, organizados pelo Sintfub, realizaram manifestação em frente ao Ministério do Planejamento (bloco K), e chegaram a fechar, por alguns minutos, o Eixo Monumental, sentido Torre de TV.

Além dos técnico-administrativos das universidades federais, estão em greve os servidores do Ministério da Cultura, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, da Fundação Palmares, do Ministério do Desenvolvimento Agrário, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, da Fundação Nacional de Artes – Funarte, e do Instituto Brasília Ambiental – Ibran.

Mais atividades e unificação da luta
De acordo com o calendário de atividades da Condsef, também no dia 3 de julho, será realizada reunião do Fórum Nacional em Defesa dos Servidores e Serviços Públicos. O objetivo é unificar e ampliar a luta dos federais pela consolidação de um processo efetivo de negociações capaz de destravar os nós e obstáculos impostos pelo Ministério do Planejamento.

Secretaria de Comunicação da CUT Brasília

Imprimir