Zeca Baleiro anima festa em comemoração ao Dia do Professor

O último sábado (07) foi de festa para os(as) professores(as) e orientadores(as) educacionais. Com um sentimento de congraçamento, mas também de muita disposição para a luta, a categoria compareceu ao Net Live e comemorou o Dia do Professor com um grande show de Zeca Baleiro. Os convidados ainda dançaram ao som das bandas do Eliseu e Terminal Zero.
Segundo a coordenadora da Secretaria de Cultura do Sinpro Thaís Romanelli, a data é para comemorar, mas também para continuar na militância e na luta contra a retirada de direitos da classe trabalhadora. “Esta festa foi pensada para que a categoria se sinta acolhida e num ambiente de diversão”, ressalta a diretora, lembrando que apesar do sentimento de alegria, o momento de luta não foi esquecido. “Apesar da alegria, não podemos esquecer o momento difícil que a classe trabalhadora vem passando. Por isto estamos colhendo assinaturas pela anulação da Reforma Trabalhista e colocamos um estandarte com o rosto dos deputados distritais que votaram a favor do saque do IPREV”, explica Thaís, complementando que apesar de todas as dificuldades, “esta categoria não se curva e sempre responde aos chamamentos do Sinpro”.
A tragédia ocorrida em Janaúba, região localizada ao norte de Minas Gerais, onde oito crianças e uma professora foram brutalmente mortas, também foi lembrada durante a festa. Para a diretora Eliceuda França, a sociedade precisa refletir mais sobre respeito e na valorização dos(as) professores(as). “Esta semana perdemos a companheira Helley Abreu Batista, que foi morta quando tentava salvar as crianças. Além dela, muitas professoras tem perdido a vida vítimas da violência. É preciso mudar este quadro”, salienta a diretora.
Durante o show, Zeca Baleiro fez questão de enaltecer o valor dos professores e lamentou o fato da profissão não ter o respeito que merece no Brasil, o que revela um descuido com um ponto da mais relevante importância, que é a educação. “Tive exemplos de professores que foram muito importantes na minha vida. Fizeram-me pensar, ler, refletir e sonhar em uma sociedade mais justa. É uma pena que este descalabro administrativo leve a este quadro de quase desolação da profissão. Ser professor exige paixão e é isto que os torna tão nobres”, comenta o cantor.
Fotos: Deva Garcia
ECOM

Skip to content