Vitória sim, mas a luta continua

Hoje foram nomeados 821 professores(as), fruto da luta do Sinpro e da organização da categoria, que acompanhou o processo desde a homologação até a fase de nomeação. Sabemos que alguns professores(as) não foram nomeados(as) e aguardam por isso, e é diante disto que o sindicato mantém o compromisso de continuar exigindo do GDF a nomeação de todo o cadastro reserva, pois entendemos que para uma educação de qualidade é preciso reduzir as precariedades na contratação de docentes.

A nomeação de concursados(as) para a rede pública de ensino traz estabilidade em relação ao seu quadro de professores(as). Nos últimos anos tivemos um número alto de aposentadorias e a reposição deste quadro na rede não tem sido feita por meio da nomeação de professores(as) concursados(as).

Este é um momento de festa e de vitória de todos nós, que no contexto de tantos atos que o Estado tem feito para prejudicar o serviço público, a categoria e seu sindicato conseguiram a nomeação de 821 pessoas. Isto não pode ser visto como algo cotidiano ou normal devido à conjuntura que vivemos atualmente.

Parabenizamos todos(as) os(as) nomeados(as) e seus familiares, pois é uma vitória de toda a família, e convidamos os(as) novos(as) docentes(as) a participarem de todas as novas lutas que terão a partir de agora.

 

Serviço

Caso os(as) professores(as) nomeados(as) tenham alguma dificuldade durante este período de realização de exames médicos e da própria contratação, os(as) mesmos(as) devem procurar assistência jurídica do Sinpro. Os procedimentos, as listas de documentos, os exames médicos a serem apresentados e as datas de posse serão divulgados nos próximos dias no site oficial da SEE.

 

É preciso um novo concurso público

Mesmo neste momento de comemoração, o Sinpro denuncia que nos últimos tempos o governo não nomeia professores(as) de Educação Física, de Matemática e orientadores(as) educacionais concursados(as), pois não há concursados no cadastro de reserva. O pior de tudo: a Secretaria de Educação não abriu processo e publicação de um novo edital de concurso público destas áreas e de outras que também carecem de concurso. O governo usa deste expediente de retardar um concurso público com o objetivo de elevar o número de contratações temporárias.

Professores(as) temporários(as) são bem qualificados(as) para o exercício do magistério e a única diferença que existe entre este profissional e os efetivos é a forte precarização salarial imposta a eles. É por entender que as vagas para o serviço público devem ser objeto de concurso público que o Sinpro exige que a SEE cumpra com a Constituição Federal e abra um novo concurso público para a Carreira Magistério Público do Distrito Federal.

 

O que pensa a diretoria:

“Esta é uma luta histórica da categoria e do Sinpro, além de ser uma pauta central de reivindicação. Estas nomeações significam o fortalecimento da carreira, uma vez que se contrata professores efetivos para o preenchimento de vagas efetivas. Estamos nesta luta desde 2019 com vários atos e movimentos, e agora conseguimos este avanço com a nomeação de 821 professores”, diretor Jairo Mendonça.

 

“Sem dúvida esta nomeação é um fortalecimento para a prestação de um serviço público de qualidade. Temos um quantitativo importante, expressivo e é fruto de uma mobilização feita constantemente. Realizamos atos; reuniões; campanha de doação de sangue; campanha de doação de brinquedos, roupas e materiais de limpeza; movimento no Carnaval com a participação no Bloco da Educação; e o ato na sede da Secretaria de Educação tudo isto para mobilizar e sensibilizar a sociedade e o governo para a necessidade destas nomeações. O Sinpro continuará nesta luta, “porque os 821 nomeados são importantíssimos para a rede pública, mas não descansaremos enquanto o cadastro reserva não zerar”, diretora Letícia Montandon.

 

“Essas nomeações são frutos da luta. Nos últimos anos foram milhares de aposentadorias que pela lei devem ser substituídas por professores concursados. Iremos continuar cobrando até que todo o Cadastro Reserva do concurso de 2016 seja zerado. Sejam bem vindos”, diretor Samuel Fernandes.

 

Clique aqui e confira o edital

Confira aqui as disciplinas:

 

COMPONENTE CURRICULAR CARGA HORÁRIA CLASSIFICAÇÃO
Administração 20h
Artes 40h 17° -21° 26º
Atividades 40h 1.229° ao 1.697°
Biologia 40h 3° ao 13°
Ciências Naturais 40h 28° ao 78°
Eletrônica 20h 5° – 6°
Enfermagem 20h 20° ao 31°
Filosofia 40h 6° ao 18°
Física 40h 5° ao 11°
Geografia 40h 13° ao 49
História 40h 12° ao 50°
Informática 20h 5° ao 9°
LEM / Espanhol 40h 17° ao 26°
LEM / Francês 40h 3° ao 5°
LEM / Inglês 40h 34° ao 74°
Língua Portuguesa 40h 66° ao 159°
Matemática 40h 5° – 19° – 44° – 55° – 58° – 63° – 94° – 101°
Nutrição 20h
Química 40h 2° ao 4°
Sociologia 40h 2° ao 5°
Atividades (PcD) 40h 6° – 22° – 44°
Ciências Naturais (PcD) 40h 7° ao 10°

 

ANO NOMEADOS
2015 243 professores e nenhum orientador

 

2016 288 professores e nenhum orientador

 

2017 293 professores e nenhum orientador

 

2018 1.485 professores e 53 orientadores

 

2019 254 professores e 671 orientadores

 

APOSENTADORIAS

 

ANO PROFESSOR ORIENTADOR TOTAL
2009 548 05 553
2010 583 583
2011 604 604
2012 491 491
2013 636 06 642
2014 675 10 685
2015 806 13 819
2016 1.159 18 1.177
2017 1.400 21 1.421
2018 1.269 24 1.293
2019 1.457 36 1.493

 

APOSENTADORIAS 2020

 

DATA PROFESSOR ORIENTADOR TOTAL
03/01 98 02 100
14/01 24 24
28/01 67 67
03/02 41 41
18/02 63 01 64
02/03 39 39

09/03                                    48                                            03                                          51

 

Skip to content