Vigilantes aprovam fim da greve

Os trabalhadores vigilantes do Distrito Federal finalizaram a greve iniciada no dia 21 de janeiro e voltarão ao trabalho ainda nesta sexta-feira (23). A decisão foi tomada em assembleia realizada hoje, na Praça do Cebolão.
Os trabalhadores receberão reajuste salarial de 7,5% e tíquete-alimentação de R$ 28 (o benefício é de R$ 23, o que representa reajuste de 21,7%). Além disso, a categoria ainda garantiu a permanência da cláusula da Convenção Coletiva de Trabalho que garante estabilidade provisória aos vigilantes que retornam de um período de afastamento pelo INSS, e vetaram a inclusão na CCT da figura do vigilante-horista – funcionário que recebe por hora trabalhada para substituir vigilantes durante o período de descanso e que, consequentemente, teria salário inferior aos dos vigilantes contratados convencionalmente e direitos reduzidos.
“Foi um bom acordo arrancado com apenas 3 dias de greve. Fechamos praticamente 100% dos postos de serviço neste período. E foi essa força que gerou um resultado positivo”, avalia o dirigente do Sindicato dos Vigilantes do DF, Roberto Miguel.
Para o dirigente da CUT Brasília, Douglas de Almeida Cunha, um dos pontos mais representativos do movimento grevista dos vigilantes foi a solidariedade de classe. “Tivemos, ao mesmo tempo, a greve dos terceirizados e dos vigilantes. Essas duas categorias trabalharam juntas, com o apoio da CUT de outras categorias de trabalhadores do DF. Essa unidade foi essencial para que tanto os terceirizados quanto os vigilantes avançassem, e a prova viva de que a solidariedade de classe é necessária e primordial para as vitórias da classe trabalhadora”, avalia.

Skip to content