Solenidade resgata trajetória do Sinpro e aponta para continuidade da luta

No aniversário de 40 anos do Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF), completados na última quinta-feira (14), a entidade não poderia ter ganho presente melhor: o reconhecimento da luta sindical.

A sessão solene em comemoração à data, realizada na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), nesta segunda-feira (18), contou com ampla participação de lideranças atuais e do início da luta do sindicato, parlamentares, representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB), da União Nacional dos Estudantes (UNE), do Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar em Estabelecimentos Particulares (SAEP), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST),  demais sindicatos de diversas categorias do DF e muito mais.

A atividade foi convocada pela deputada distrital Arlete Sampaio, que sempre apoiou e acompanhou de perto as pautas da categoria. No encontro, essas frentes reafirmaram a importância do Sinpro, não apenas para os trabalhadores em educação, mas para a sociedade em geral.

A história mostra que, desde o princípio, o sindicato teve papel fundamental nas diversas lutas da classe trabalhadora frente aos embates locais e nacionais. Forjado na luta, sua combatividade e autonomia se fizeram notar, principalmente, em defesa de uma escola pública, gratuita e de qualidade para todos.

O Sinpro nasceu no dia 14 de março de 1979, quando enfim, a Associação Profissional dos Professores do DF (APPDF) recebia do Ministério do Trabalho a denominação de sindicato, consolidando-se como a primeira organização representativa dos professores da recém fundada capital federal.

Enfrentou diversos desafios como uma intervenção federal militar, destituição da diretoria e instauração de uma junta interventora, bem como a busca constante por melhores condições de trabalho. Desde então, o Sinpro segue firme sendo instrumento de organização e de enfrentamento aos retrocessos e esse acúmulo de vitórias contribuem para a continuidade luta por educação e avanços.

Além das pelejas locais, o Sinpro também teve papel de destaque essencial em embates como, por exemplo, na luta contra a Lei da Mordaça; uma ameaça de censura e repressão que assombra a educação brasileira e coíbe a construção do pensamento crítico nas escolas. Contra a Emenda Constitucional 95; que congela investimentos e gastos, inclusive, em educação, contra a reforma trabalhista; que retira direitos da classe trabalhadora e sucateia as relações de trabalho e, mais recente, a luta contra a reforma Previdência, que representa o agravamento das desigualdades sociais brasileiras.

“A conjuntura é complexa, mas, em momentos de comemoração como este, colhemos os frutos da fraternidade e unidade entre as forças. O sentimento é de satisfação e a missão agora é atuarmos em conjunto pela classe trabalhadora para barrar os retrocessos impostos. Nós, do Sinpro-DF, somos uma casa de luta, resistência, e dedicação para com os professores e orientadores educacionais do DF. Mas, nossa representação extrapola os limites da categoria e vai até a luta coletiva em defesa da classe trabalhadora e do país. Juntos, escreveremos mais 40 anos de história de sucesso”, conclama a diretoria colegiada do Sinpro-DF.

 

 

 

Skip to content