Sinpro presta todo apoio aos professores da rede estadual do Amazonas

A diretoria do Sinpro presta todo o apoio e solidariedade aos(às) trabalhadores(as) em educação do estado do Amazonas, e aos(às) trabalhadores(as) do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (SINTEAM). Apenas 20 dias após o retorno das aulas presenciais do ensino médio da rede estadual, o Amazonas registrou 342 professores(as) infectados(as) com a Covid-19.

Com base nos dados fornecidos pela Fundação de Vigilância de Saúde, o SINTEAM pediu a suspensão das aulas e a volta às atividades online, e vem travando uma grande luta contra a irresponsabilidade do governo estadual de Wilson Lima, que impôs a retomada das aulas presenciais na sua rede pública de educação. O resultado foi a contaminação de centenas de professores.

Diante da grave epidemia por qual passa o Estado e o país, a reabertura de escolas nesse momento é uma tragédia anunciada. Além do espaço escolar ser um local privilegiado para a contaminação do novo Coronavírus em decorrência da aglomeração, os(as) próprios(as) estudantes e educadores(as) podem levar a doença aos(às) familiares, fruto da aglomeração e contato com possíveis infectados. Como crianças e adolescentes são mais assintomáticos do que a média do restante da população, acaba repercutindo como um efeito cascata na contaminação para além dos muros escolares, envolvendo, em muitos casos, mais de 40% da população de uma cidade.

O Sinpro, desde a sua criação, sempre lutou por uma educação pública de qualidade inclusiva e plural para a comunidade. Neste momento tão grave que temos passado, com quase 130 mil mortes por COVID no Brasil, a volta das aulas presenciais é um atentado à vida, à saúde e ao futuro do país.

Skip to content