Sinpro participa de plenária em defesa dos servidores públicos

Dando continuidade ao calendário de lutas em defesa do serviço público e da Semana Pedagógica do Sinpro, sindicatos, centrais sindicais e representantes da CNTE estão reunidos no Auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, para plenária e mobilização em defesa dos(as) servidores(as) públicos(as). A plenária faz parte de uma série de atividades importantes e que demandam muita unidade, justamente por entender que defender as estatais e os serviços públicos é defender a soberania nacional. As atividades envolvem desde ações nas ruas a mobilizações e debates no Congresso Nacional.

O desrespeito por parte do governo federal para com o funcionalismo público infelizmente não é nenhuma novidade, mas no dia 7 de fevereiro tomou proporções alarmantes. Durante palestra na Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV EPGE), o ministro da Economia, Paulo Guedes, atacou os(as) trabalhadores(as) do funcionalismo público brasileiro, chegando a compará-los(as) com “parasitas”.

A declaração gerou revolta de várias entidades que representam os(as) trabalhadores(as). Para o presidente da CNTE Heleno Manoel Gomes, é impossível acreditar que um presidente da República queira vender a Petrobras, a Casa da Moeda, privatizar os Correios e ainda tratar o funcionalismo público desta forma. “Estamos na luta em defesa da educação pública básica, superior e profissional em nosso país, mas também defendendo as empresas públicas e estatais em nosso país. Defendemos os serviços públicos porque são eles que atendem 100% da população brasileira. O povo precisa dos servidores públicos. Somos nós que atendemos a este povo e não aceitamos um governo que queira destruir o patrimônio público de nosso país, muito menos um ministro que acusa os servidores de parasitas”, salienta Heleno.

Todos(as) os(as) servidores(as) públicos(as) e trabalhadores em geral podem participar das atividades em defesa do funcionalismo público. “É diante de tudo isto que chamamos todos para se mobilizar conosco e ocupar as ruas. A educação está chamando para mobilizar dia 21 de fevereiro, vamos colocar o bloco da educação nas ruas, as mulheres nas ruas no dia 8 de março e uma grande mobilização no dia 18 de março”, finaliza o presidente da CNTE.

 

 

Calendário:

 

13/2 – Debate: Realidade Brasileira com o recorte na educação – 9h – na sede do Sinpro

FUNDEB – 14h – na sede do Sinpro

14/2 – Reunião dos servidores Públicos do DF – 14h – (CUT DF)

18/2 – Audiência Pública na Câmara Legislativa contra a extinção da Codeplan

25/2 – Carnaval – Bloco Vai Ter Luta

8/3 – Dia Internacional da Mulher

13/3 – Paralisações, mobilizações, protestos e greves em defesa dos serviços e das empresas públicas

18/03 – Dia Nacional de Paralisação Mobilização, Protesto e Greves

Skip to content