Sinpro faz plantão na CLDF para garantir manutenção do auxílio-saúde

Desde o início da tarde desta quinta-feira (31/3), dirigentes do Sinpro-DF estão no Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) para acompanhar a análise de projetos de lei que tratam de benefícios para servidores públicos locais. Entre eles, projeto de lei de iniciativa do Executivo que dá caráter definitivo ao auxílio-saúde pago a professores(as) e orientadores(as) educacionais da rede pública de ensino.

Pela legislação vigente, os R$ 200 referentes ao auxílio-saúde seria suspenso com a implementação do plano de saúde dos servidores públicos distritais – GDF Saúde –, realizada em 2019, após anos de luta do Sinpro-DF e de outras representações do funcionalismo público.

Em reunião realizada com o governador Ibaneis Rocha no último dia 21 de março, a comissão de negociação do Sinpro-DF destacou que a perda salarial imposta à categoria é de 49%, se considerada a inflação pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), e que a continuidade do auxílio-saúde mitiga essa perda, sendo uma das pautas de reivindicação da categoria.

“Além de solucionar a fragilidade do pagamento do auxílio-saúde, nosso pleito é para que o valor seja incorporado ao nosso vencimento”, esclarece a diretora do Sinpro-DF Rosilene Corrêa.

O projeto de lei poderá ser votado a qualquer momento pela CLDF.