Sinpro e aposentados(as) definem agenda de luta pelo pagamento da pecúnia

Um grande número de professores(as) e orientadores(as) educacionais aposentados(as) lotou o auditório do Sinpro durante reunião realizada na tarde desta terça-feira (24) para definir uma nova agenda de luta para o pagamento da pecúnia da licença-prêmio. O Governo do Distrito Federal tem quebrado constantemente o acordo com o magistério público e não paga o benefício aos que se aposentaram em 2016, conforme negociado com a comissão de negociação do sindicato.
O último pagamento da pecúnia foi feito para aqueles que se aposentaram em janeiro de 2016. Segundo a coordenadora da Secretaria para Assuntos dos Aposentados Silvia Canabrava, 786 professores(as) e orientadores(as) que se aposentaram em 2016 ainda aguardam o pagamento, além dos 1.297 mil que se aposentaram este ano. “Temos realizado atos, manifestações e reuniões com o governo com o propósito de reivindicar o pagamento da pecúnia, que é um direito. Não vamos descansar até que o último aposentado receba este benefício”, afirma Silvia.
Dentre as deliberações definidas na reunião está a veiculação de uma nota na mídia denunciando o não pagamento da pecúnia, e uma manifestação nesta sexta-feira (27), às 9h30, em frente ao Palácio do Buriti. Outro ponto importante salientado pelos presentes foi a cobrança para que o governo apresente um cronograma de pagamento da pecúnia. “Não passamos por um momento fácil e é em momentos iguais a este que precisamos manter a unidade. Vivemos uma realidade em que ataques aos trabalhadores são cada vez maiores e precisamos caminhar juntos. Somente a união trará a vitória a todos que aguardam o pagamento da pecúnia da licença-prêmio, que um direito garantido por lei”, afirma a diretora do Sinpro Marilange da Silva.
Após lutarem durante boa parte da sua vida por uma educação pública de qualidade e pelo futuro do Brasil, servidores(as) da carreira magistério que se aposentam precisam lutar para receber a pecúnia da licença-prêmio, direito garantido pela Lei Complementar nº 840/11, que preconiza esse pagamento em até 60 dias após a aposentadoria. O Sinpro vem lutando para que todos(as) recebam o que lhes é de direito.

Skip to content