Sinpro cobra providências dos governos Federal e do DF para conter o Coronavírus

O Distrito Federal, a exemplo de todo o Brasil e do mundo, vive um momento de grande apreensão e preocupação por conta da pandemia do Coronavírus. O sentimento de medo gerado após a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar pandemia global gera, no conjunto da classe trabalhadora, uma incerteza sobre o futuro, além da dúvida sobre quais cuidados e providências estão sendo tomadas por parte dos governos Federal e do DF para conter este problema.

A atitude do GDF em suspender as aulas nas redes pública e privada por cinco dias, além de cancelar missas, shows, eventos esportivos ou quaisquer tipos de atividades com aglomeração de pessoas é uma medida insuficiente se outras providências não forem tomadas, uma vez que uma pessoa infectada terá a necessidade de uma assistência médica condizente com a gravidade do Coronavírus. E, hoje, infelizmente não temos esta estrutura nos hospitais públicos.

O fato dos(as) professores(as), orientadores(as) educacional e dos(as) demais servidores(as) públicos(as) ficarem cinco dias em casa e voltarem ao trabalho com a possibilidade de um quadro ainda mais grave e sem nenhuma medida não faz sentido algum. Entendemos que o governo do DF precisa tomar providências, mas é preciso que estas providências saiam realmente do papel.

 

Fortalecimento do SUS

Uma atitude extremamente necessária é o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). À medida que o SUS tenha a estrutura e o investimento necessário para o cuidado dos infectados, a pandemia pode ser controlada e vidas serão salvas.

Outro ponto indispensável é que o Executivo, o Legislativo e o Judiciário compreendam a excepcionalidade da situação que estamos vivendo e a importância da ampla concentração de ações em medidas emergências para o enfrentamento da crise gerada por esta pandemia. Também é necessário que haja um amplo debate para que sejam encontradas medidas emergenciais para a proteção dos(as) trabalhadores(as) que utilizam o transporte público, assim como para os trabalhadores que convivem com grande quantidade de pessoas à sua volta, o que os coloca em um quadro de maior risco.

O Sinpro tem tomado todo o cuidado em reforçar junto à categoria as precauções necessárias para se evitar o contágio do Coronavírus, mas é preciso investimento por parte do GDF e do Governo Federal na saúde pública e em criar mecanismos de combate ao vírus, resguardando assim a integridade física da população brasileira como um todo.

 

Cuidados necessários para a categoria

Diante desta pandemia o sindicato também exige que, em caso de retorno das atividades escolares após o período de suspensão das aulas, o GDF monitore as escolas públicas, orientando os(as) professores(as), orientadores(as) e estudantes quais são os cuidados necessários para que não haja o contágio dos trabalhadores e dos estudantes. Já é sabido em todo o mundo que os jovens apresentam a doença na sua forma mais branda. No entanto, os(as) profissionais que trabalham nas escolas precisam estar devidamente protegidos, já que segundo a OMS, quanto maior for a idade, mais grave serão os sintomas do Coronavírus.

Portanto, o GDF deve orientar e adotar junto aos profissionais de educação, protocolos e etiquetas de higiene, fornecendo os devidos materiais básicos para que isto ocorra (informação através de folder e cartaz, distribuição de álcool gel e de máscaras para aqueles que por diversos motivos já mencionados pela OMS necessitam).

Skip to content