Sinpro apoia a luta dos educadores gaúchos

A Diretoria Colegiada do Sinpro-DF vem a público solidarizar-se com a luta dos(as) professores(as) e orientadores(as) educacionais do Estado do Rio Grande do Sul e do representante da categoria, o Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul – Sindicato dos Trabalhadores em Educação (CPERS).
Em greve desde o dia 5 passado, os educadores gaúchos resistem às investidas do governo Ivo Sartori (PMDB). O Executivo local adota o mesmo ideário neoliberal do ilegítimo governo Temer, tentando desvalorizar e anular o alcance social da educação pública.
A receita, já conhecida, passa pela implantação do parcelamento de salários. Este mês a categoria recebeu R$ 350.
Não bastasse, o governo Sartori encaminhou projetos nefastos e nocivos aos servidores e ao serviço público. Tramitam na Assembleia Legislativa propostas como a que altera a aposentadoria de servidores públicos, a que muda a data de pagamento e as que extinguem a licença-prêmio e o adicional por tempo de serviço.
Como atores sociais da maior relevância, é contra esse desmonte do serviço público que os educadores se levantam e exigem respeito – a eles e à sociedade, principalmente às parcelas mais humildes.
Os(as) professores(as) e orientadores(as) educacionais do Distrito Federal e o Sinpro reforçam o apoio à luta e à greve do magistério gaúcho, ao mesmo tempo em que repudiam as atitudes do governo Sartori – que impede a garantia de direitos de seus servidores(as) e os elege como os responsáveis por uma crise que eles não provocaram.
Toda força ao magistério gaúcho!
Sindicato dos Professores no Distrito Federal – Sinpro-DF

Skip to content