Servidores definem calendário de luta contra desmonte do serviço público

Em Brasília, mobilização contra sucateamento começa na sexta-feira (24/1), Dia do Aposentado, rumo à greve geral em 18 de março. “Esse processo de desmonte só tem um objetivo, é fragilizar o Estado brasileiro”, afirma Cleber Soares, do Sinpro-DF

São Paulo – A CUT em Brasília realizou uma plenária nesta sexta-feira (18) para definir um calendário de ações em defesa do serviço público. Segundo reportagem de Camila Piacesi para o Seu Jornal, da TVT, entidades sindicais locais e federais que representam o funcionalismo público vão realizar atividades que envolvem ações na rua, mobilizações e debate no Congresso Nacional.

A próxima sexta-feira (24) é o Dia do Aposentado. “Nós queremos fazer um ato partir das 10 da manhã, e no dia 12 de fevereiro será lançada a campanha salarial em defesa do serviço público na audiência pública lá no auditório Nereu Ramos (no Congresso Nacional), rumo à greve geral no dia 18 de março”, afirma Oton Neves, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Federais (Sindsep-DF).

sucateamento do serviço público e a desvalorização dos servidores é um cenário que já foi vivido em 1990, mas o que o governo não diz é que a ausência do serviço público vai significar para a população mais carente o não atendimento do que é essencial, como educação e saúde.

“Esse processo de desmonte só tem um objetivo, é fragilizar o estado brasileiro, empobrecer mais ainda a nossa população, precarizar o atendimento público ao nosso povo, sobretudo a parcela mais empobrecida da população e entregar para a iniciativa privada e para as instituições internacionais”, diz Cléber Soares, diretor do Sindicato dos Professores (Sinpro-DF).

Confira a reportagem

Skip to content