Rodoviários do DF dão exemplo de luta contra a reforma trabalhista

A ação de coletas de assinaturas ao Projeto de Iniciativa Popular (Plip) para revogação da nefasta reforma trabalhista está a todo vapor e tem mobilizado trabalhadores de várias categorias. O mais recente avanço nas atividades foi protagonizado pelo Sindicato dos Rodoviários do Distrito Federal (Sittrater) que, apenas no terminal do Setor de Indústrias de Abastecimento (SIA), conseguiu que mais de 1500 pessoas assinassem o documento. As assinaturas foram entregues ao presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto, nessa segunda (16).
Para o responsável pela coleta no SIA, Carlos Barbalho, o trabalho no foi marcado por coletividade e unidade da categoria. “Em todos os dias de atuação, nós buscamos conscientizar os trabalhadores da importância desse movimento. O pessoal aderiu com muita força e, em poucos dias, conseguimos um número expressivo de assinaturas”, destacou.
Já o diretor do Sinttrater, Saul Araújo, exalta a ação da CUT e aponta que as assinaturas colhidas são apenas uma parte do trabalho desenvolvido pelo sindicato. “A reação contrária da população em relação ao projeto de fragmentação dos direitos trabalhistas é evidente. Estamos no caminho certo, pois o problema é resolvido indo às ruas, exigindo e cobrando”, afirmou.
Na avaliação do presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto, a atuação dos rodoviários é um exemplo a ser seguido por outras categorias. “A ruptura do Estado democrático de direito trouxe uma série de retrocessos, e o trabalhador já está sentindo. Ações como essa são fundamentais porque, além de esclarecer à população sobre os malefícios, mostra a capacidade de mobilização de sindicatos históricos, como o Sindicato dos Rodoviários. Se os outros fizerem esse mesmo trabalho, teremos chance real de reverter esse malefício e, ainda, combater a reforma da Previdência.”
O movimento de coletas de assinaturas dos trabalhadores rodoviários se estende, agora, a outros terminais, como o de Samambaia, Gama, Santa Maria, Planaltina e outros.
O Projeto de Iniciativa Popular para anulação da reforma trabalhista, que entra em vigor a partir de 11 de novembro, é uma iniciativa da CUT em parceira com seus sindicatos filiados. A campanha tomou as ruas em 7 de setembro e, desde então, dirigentes sindicais estão empenhados para conseguir alcançar a meta de 1,3 milhão assinaturas – número necessário para que o Plip comece a tramitar no Congresso Nacional.
 

Skip to content