RETROSPECTIVA 2020 | Sinpro-DF se reinventou em lives sensacionais e extensa luta sindical virtual

O Brasil chega cansado ao décimo mês do ano e ao sétimo mês de crise sanitária sem solução. A pandemia havia matado mais de 150 mil pessoas no País e os governos federal e local, de alinhamento neoliberal, ou seja, ligados aos partidos políticos MDB, DEM, PSDB, PSL, Sem Partido, centrão, etc., não se mobilizaram e nem apresentaram nenhuma política de combate à crise e muito menos de mudanças na economia que favorecesse a população e a soberania do Brasil.

As denúncias de corrupção com o pouco dinheiro público destinado ao combate à Covid-19 e a ameaça da chegada da segunda onda da pandemia do novo coronavírus ainda mais forte eram a pauta do dia. O sindicato, que já se recria, cotidianamente, para fortalecer a luta e enfrentar as ofensivas liberais, viu-se diante da necessidade de se reinventar ainda mais para assegurar, na sua luta histórica, a defesa do magistério e da educação pública de forma virtual. Outubro foi marcado pela realização de lives sensacionais.

Em homenagem ao Dia do(a) Professor(a), 15/10, realizou a live político-cultural, inspirada em Paulo Freire, “Esperançar e resistir”. Em parceria com o Sindicato dos Professores das Escolas Particulares (Sinproep-DF), viabilizou a tradicional Festa do(a) Professora(a) remotamente. A atividade contou com a apresentação de vários artistas, com destaque para a estrela do show, o cantor Arnaldo Antunes. Centenas de pessoas participaram da live.

Realizou uma série de lives culturais dos(as) aposentados(as), que também deixou sua marca no mês de outubro. As várias lives apresentaram merecidas homenagens a esse segmento da categoria que sempre lutou pela educação pública de qualidade e valorização dos profissionais do setor.

No Dia do Servidor Público, 30 de outubro, em parceria com a CUT e organizações sindicais, promoveu o ato político-cultural virtual, com debates sobre a soberania nacional, tendo como temas a reforma administrativa e a defesa das empresas públicas. A atividade contou com show do rapper GOG e outros artistas da cidade.

Debates e lutas remotas
O Sinpro-DF ampliou o debate sobre os prejuízos da reforma administrativa e da reforma da Previdência, que ainda está em curso no Distrito Federal. Tudo realizado de forma virtual. Organizada pelo setor jurídico do sindicato, foi lançada uma calculadora que mostra a alteração nos salários com a implantação do reajuste das alíquotas previdenciárias.

Mais familiarizados com as ações políticas remotas, após muitas reuniões com gestores(as), a entidade lançou o Coletivo de Gestão Democrática. O espaço foi idealizado para realização de debates, construção e fortalecimento da gestão democrática nas escolas públicas.

Em outubro, o Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou a ampliação do ensino remoto nas redes pública e privada do País até dezembro de 2021, sem nenhuma proposta de reorganização curricular e de conteúdo. A iniciativa foi amplamente contestada pela nossa categoria.

Também foi surpreendida com a decisão da Justiça, que acatou o pedido do Ministério Público e definiu um prazo para o retorno presencial das aulas nas escolas públicas. Nesse momento, o próprio GDF se posicionou contra a interferência da Justiça numa decisão já tomada.  O Sinpro-DF ingressou, como parte interessada no processo (amicus curiae), e derrubamos a sentença da Justiça.

CEB Pública e Tributar os Super-Ricos
As lutas amplas da classe trabalhadora sempre tiveram o apoio e a participação do Sinpro-DF. “Em outubro, somamo-nos à campanha em defesa da CEB Pública e, nacionalmente, lançamos a campanha “Tributar os Super-Ricos”, que corrige injustiças históricas no sistema tributário”, lembra a diretoria colegiada.

No campo das conquistas, o GDF confirmou o pagamento das dívidas referentes aos exercícios findos de 2006 a 2019 e o compromisso de avançar em pontos do Plano de Carreira do Magistério do DF. O governo lançou também o GDF Saúde, o plano de saúde direcionado aos(às) servidores(as) públicos(as), uma pauta histórica da categoria. Assista a restrospectiva.

Skip to content