É precipitado pensar em retorno 100% presencial, afirma diretora do Sinpro

No sábado, 9 de outubro, o governador Ibaneis Rocha declarou que as aulas na rede pública do Distrito Federal serão 100% quando o DF atingir 70% da população imunizada com duas doses ou a vacina de dose única.

A diretoria colegiada do Sinpro considera tal afirmação bastante precipitada, uma vez que o DF, no momento, é a pior entre as unidades da federação no que se refere ao contágio pelo novo coronavírus. Enquanto o Brasil apresenta a menor taxa de transmissibilidade desde abril de 2020, em torno de 0,60, o DF tem o assustador índice de 1,08 nesta quarta-feira, 13, o que indica pandemia em aceleração (acima de 1).

Segundo a Codeplan (Companhia de Planejamento do DF), o DF é a terceira unidade da federação em número de casos por 100 mil habitantes, tendo ultrapassado as 507 mil infecções. No coeficiente de mortalidade (mortes por 100 mil habitantes), o DF encontra-se em quarto lugar, acima da média nacional, somando mais de 10,6 mil óbitos.

Todas e todos sabemos que as escolas são espaços que potencializam a transmissão, pelo elevado número de pessoas que ali circulam e pela própria natureza da atividade, que envolve contato entre as pessoas. Embora a vacina seja um aspecto central da superação da pandemia, o fato de ela não anular a transmissão faz com que ainda haja risco. Já são três os casos de professores(as) de escolas públicas do DF que faleceram em decorrência da covid-19 após o retorno presencial.

“Estamos em meados de outubro, reta final do ano letivo, e é importante ter uma avaliação mais ponderada”, destaca Rosilene Corrêa, diretora do Sinpro. “Essa precipitação do governador pode nos custar mais vidas”, aponta ela.

Para Rosilene, ainda é cedo para definir o percentual de vacinados com o qual será possível retomar as aulas 100% presenciais. “As escolas têm se dedicado a garantir todos os cuidados, mas a pandemia não acabou e o governo está devendo a parte dele”, diz ela, lembrando que o Sinpro vem reivindicando a realização massiva de testes na comunidade escolar. Até agora, 136 escolas apresentaram casos de covid depois da retomada das aulas presenciais.

No momento, o Distrito Federal tem 1.338.856 pessoas vacinadas com a segunda dose, e outras 57.951 com a vacina de dose única. Essa somatória resulta em 45,76% da população com a imunização completa. Entretanto, estamos em meio à aplicação de doses de reforço (terceira dose) em profissionais de saúde, pessoas com mais de 60 e imunossuprimidas.