Restrospectiva 2020 | Assista à série de vídeos com a luta do Sinpro no ano da pandemia

“Chegamos ao início de 2021 conscientes de que os desafios ainda são imensos e nos manteremos determinados na defesa da vida, de nossos direitos e da democracia. Isso só poderá ser feito mediante duas ações imprescindíveis: pelas escolhas que faremos por meio do voto e por intermédio de nossa unidade enquanto classe trabalhadora organizada”, essa é a avaliação da diretoria colegiada do Sinpro-DF ao analisar a luta de 2020.

 

Apresentamos, a seguir, o vídeo, na íntegra, da retrospectiva da luta do Sinpro-DF em 2020: o ano que deixou como principal lição a necessidade de consciência na hora do voto. Assista. Participe. Mande sua opinião. #2020: o ano das lutas virtuais.

 

Um momento da humanidade em que a pandemia do novo coronavírus devastou milhões de vidas e, em vez de amenizar a situação, o presidente da República, Jair Bolsonaro, tentou transformar centenas de milhares de mortes em meros números de um obituário. Entramos em 2021 juntamente com o início da segunda onda da pandemia da Covid-19, que cresce em velocidade de genocídio.

 

Enquanto o número de óbitos aumenta a cada hora e transforma o Brasil em exemplo de tragédia humana, descaso e fracasso da política econômica neoliberal, de retirar o Estado das suas atividades naturais, que é a de garantir saúde, educação, emprego, renda, ciência, dignidade ao povo e soberania para a Nação, entre outras, os números mostram que a fortuna dos mais ricos saltou 31% na pandemia.

 

Os bilionários brasileiros dobraram suas fortunas. Nos EUA, os bilionários norte-americanos ficaram US$ 1,1 trilhão mais ricos durante a crise sanitária mundial. A cada uma de suas ondas, a pandemia enriquece o seletíssimo grupo de bilionários do mundo e joga milhões de pessoas na pobreza. No Brasil, o governo federal aproveitou a pandemia para impor mais pobreza, mais sacrifício e mais mortes aos brasileiros.

 

Sem nenhuma política pública de combate à pandemia, a crise sanitária chegou descontrolada em território nacional, devastando esperanças e arrasando as famílias. A pandemia é utilizada como instrumento de distração para envolver o povo em um clima de terror, e, ao mesmo tempo, esconder uma das mais agressivas crises econômicas já fabricadas por banqueiros, empresários e políticos neoliberais desde o golpe de Estado de 2016.

 

A soma do fracassado neoliberalismo com uma pandemia altamente letal levou o movimento sindical a uma situação nunca vivida em que teve de se reinventar diariamente. Nos últimos 12 meses, o Sinpro-DF aprendeu, recomeçou e se esforçou para lutar em defesa da categoria. Nunca pensou em abandonar a luta. Ao contrário, recriou suas formas de luta e, durante os períodos mais duros do isolamento social, para impedir a usurpação dos direitos trabalhista da categoria e da educação pública, se manteve firme, na frente e na liderança da luta de classe.

 

Se, de um lado, a pandemia da Covid-19 matou centenas de milhares de pessoas, dizimou famílias inteiras e imprimiu marcas indeléveis na vida dos brasileiros, de outro, a gestão neoliberal e a economia do Estado mínimo geraram o maior nível de desemprego e pobreza da história do País.

 

A política econômica do governo Jair Bolsonaro/Paulo Guedes de desvio do dinheiro público para interesses privados, de desindustrialização e de desemprego aprofundou a fome e espalhou o medo e Bolsonaro aproveitou, cruelmente, a pior doença do século para pôr em curso projetos que cortam a classe trabalhadora em sua carne, de outro, a classe trabalhadora cumpriu sua tarefa de lutar. O Sinpro-DF esteve, mais uma vez, e historicamente, na frente do combate contra os ataques neoliberais. Confira, a seguir, o vídeo Retrospectiva 2020 na íntegra.

 

 

Skip to content