Reconhecimento é um dos maiores desafios para os orientadores

    banner site marcela
    Apesar de toda a importância que possui dentro da escola, o reconhecimento ainda é o maior desafio para o pedagogo-orientador educacional. Quem revela é a orientadora da Escola Classe 803 do Recanto das Emas, Ivanilde Maria Pereira da Silva. Segundo ela, o respeito ao trabalho realizado pelo profissional é pouco por parte de alguns professores. “Sinto que falta uma parceria entre o orientador e as equipes da sala de recursos, pedagogos e demais profissionais da escola para fazer um trabalho articulado”, salientou Ivanilde.
    Além da valorização, a existência de um espaço adequado para que o orientador possa atender é outro desafio da profissão. Apesar da convocação de vários profissionais nos últimos oito anos, muitos deles não têm uma sala própria para trabalhar. A dificuldade de colocar os pais mais presentes na vida escolar dos filhos é outro desafio. “Muitos pais veem a escola como um depósito de alunos. Eles deixam seus filhos lá, não fazem o acompanhamento diário e o orientador tem o desafio de mostrar aos pais a importância de estar presente no processo de escolarização. Devido a esta distância, muitos alunos não tem expectativa de futuro”.
    Mesmo com todas as dificuldades, Ivanilde Pereira afirma que ama ser orientadora. “Escolhi esta área porque na minha visão o orientador está próximo ao aluno. Me sinto muito realizada, respeitada porque é um trabalho fascinante. Se consigo recuperar um aluno, me sinto gratificada”, finaliza.
     
    Orientadora: Ivanilde Maria Pereira da Silva
    Escola: Escola Classe 803 do Recanto das Emas
    Tempo de magistério: 15 anos
     
    Veja mais:
    Pedagoga vislumbra um futuro melhor para a orientação educacional
    Orientadora educacional diz que desafio é trazer a juventude para a escola