Recadastramento de servidores ativos começou dia 15/2 e só vai até 30/4

Os(as) servidores(as) ativos(as) da Secretaria de Estado da Educação do Distrito Federal (SEEDF) devem ficar atentos para a data do recadastramento obrigatório, que começou no sábado (15/2) e vai até 30 de abril de 2020. O(a) servidor(a) que não se recadastrar será convocado a prestar esclarecimentos pelo setorial responsável por meio processo administrativo que irá apurar as responsabilidades do não recadastramento. A Circular nº 10, editada no dia 12 de fevereiro de 2020 pela Secretaria de Estado de Economia SEE/SUGEP, esclarece todos os procedimentos e dúvidas sobre o recadastramento dos(as) servidores(as) ativos(as) do Governo do Distrito Federal (GDF).

De acordo com a circular, o recadastramento poderá ser realizado por meio do Sistema de Recadastramento, Complementação e Atualização de Dados (Recad), acessível pela Internet, pelo endereço eletrônico https://sistemas.df.gov.br/Recadastramento/ . O Manual do Recadastramento está disponível no link: http://www.seplag.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2018/12/MANUAL_2019-08-07.pdf e no endereço http://www.seplag.df.gov.br/duvidas-frequentes/ . A Circular nº 10/2020 também lista as perguntas frequentes.

Todos(as) os servidores ativos são obrigados a se recadastrarem nesse período, independentemente de estarem afastados, licenciados, de férias ou cedidos a outros Poderes ou entes federativos. Ou seja, todos os agentes públicos, ativos e contratados temporariamente, dos comissionados aos cedidos a outros órgãos da administração direta, autárquica e fundacional do GDF, todos definidos no artigo 2º da Portaria 256/2019, são obrigados as recadastrarem.

HISTÓRICO
O recadastramento obrigatório faz parte da atualização de dados que GDF tem feito desde agosto de 2019 e da implantação de um novo sistema de gestão de pessoas e produção da Folha de Pagamento, o Sigepe-DF, e, nesse caso, o recadastramento é fundamental para assegurar que os dados a serem inseridos no novo sistema estejam atualizados. A atualização dos dados do Sistema Único de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH) não é feita desde 2011, quando foi realizado o último recenseamento. O recadastramento atinge cerca de 130 mil servidores e será concluído no prazo de nove meses. Trabalhadores temporários, afastados, licenciados e que estão cedidos para outros entes federativos também precisam informar seus dados ao governo. Aqueles que não atualizarem os dados poderão ter o salário bloqueado ou até suspenso.

Skip to content