Projeto de professora da EC 06 de Taguatinga promove uma educação inclusiva e especial

A pandemia do novo Coronavírus tem trazido uma série de mudanças no comportamento e no dia-a-dia da população mundial. Devido ao isolamento social, muitos têm se reinventado, adaptando o distanciamento às necessidades no trabalho, na rotina e no convívio social. A professora Maria José de Siqueira Campos, da Escola Classe 06 de Taguatinga, é um destes exemplos.

Trabalhando com estudantes especiais, a educadora promove a alfabetização de uma forma diferente: com Jogos Pedagógicos de materiais recicláveis. O projeto, existente há vários anos na rede pública de ensino do Distrito Federal, trabalha as especificidades das turmas de TGD/TEA (Autismo). De acordo com as dificuldades encontradas, constroem jogos trabalhando o alfabeto, o banco de palavras, o silabário e outros aspectos, tudo de forma totalmente sustentável.

Segundo Maria José, o material utilizado vai desde pneus a papel e plástico. “Atuo com ensino especial há 12 anos e vendo as necessidades e dificuldades dos estudantes, criei os jogos pedagógicos provenientes de materiais recicláveis. É sabido que o lúdico em sala de aula faz a diferença na educação de qualquer educando. Com esta oficina, consigo passar o conteúdo de uma forma mais fácil e agradável para cada um deles”, explica a professora.

O projeto tem sido fundamental nesse contexto do ensino remoto, e a iniciativa da professora está recebendo elogios de pais de estudantes e da comunidade escolar.

O projeto é finalizado com uma feira voltada para trabalhar a sustentabilidade.

Skip to content