Programação especial marca celebrações do Dia do Orgulho LGBT

No dia 28 de junho é celebrado o dia do Orgulho LGBT. Para comemorar esta data tão importante, o Sinpro-DF, em parceria com a TV Comunitária, com o Sindicato dos Bancários e a CUT Brasília realizarão a live “Orgulho e Resistência”.

A transmissão será realizada nesta sexta-feira (26), às 19h, pelo canal 12 da NET-DF e pelas redes sociais do Sinpro e da TV Comunitária.  

O objetivo é realizar uma ampla mobilização virtual que reunirá  representantes de coletivos e movimentos de defesa das pautas LGBTs, de entidades sindicais e diversos artistas para  debater sobre a luta por direitos, respeito e democracia.

Representando as entidades sindicais, a programação contará a participação de Letícia Montandon, professora e diretora da Secretaria de Raça e Sexualidade do Sinpro-DF, Edson Ivo, bancário e secretário de Combate à Discriminação do Sindicato dos Bancários e João Macêdo, do Coletivo LGBT da CUT Brasília.

Letícia Montandon parabenizou as entidades pela iniciativa. “Neste momento complexo que vivemos esta é, sem dúvida, uma oportunidade de reflexão e mobilização. Faremos um rico debate sobre as questões do mundo do trabalho, democracia e estratégias de combate aos ataques vivenciados diariamente pela população LGBT”, ressaltou.

“O programa em comemoração ao mês do Orgulho LGBT nos trará a oportunidade de conhecer os desafios desta comunidade que trava diuturnamente a luta por direitos fundamentais a melhores condições de vida, primando pelo respeito à diversidade de gênero e combatendo toda forma de violência representadas, hoje, por um estado racista e homofóbico”, reiterou a também diretora da Secretaria de Raça e Sexualidade do Sinpro, Márcia Gilda.

Já o militante João Macêdo relembrou a importância da data e a luta diária por direitos. “O corpo, a vida e a própria existência da população LGBT é forjado na luta. A situação atual é preocupante, por isso precisamos nos unir e nos organizar. Assistimos uma série de negações  de direitos  básicos humanos como, acesso à educação, saúde, moradia, emprego, renda e muito mais. O genocídio dessa população é uma situação  constante que parece não causar qualquer comoção na sociedade. Me sinto motivado a continuar engajado nessa luta, pois são nesses coletivos que temos acesso a um local sensível de fala e escuta. Desta maneira é possível criar mobilizações que construam estruturas de combate as desigualdades e preconceitos que nos são impostas. Somente com luta,  unidade e  diálogo podemos mudar essa estrutura preconceituosa, homofóbica e racista”, disse. 

Confira os convidados da live  “Orgulho e Resistência”:

Jaqueline Gomes de Jesus – Doutora e professora no Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ);

Prethaís – baiana, poeta, compositora, cantora e ativista no combate ao racismo/machismo/homofobia estrutural;

Andrey Lemos – historiador, tecnologista em gestão de políticas públicas em saúde, mestre em Políticas Públicas;

Janaina Oliveira – ativista dos Direitos Humanos, militante da rede afro LGBT e estudante de direito;

Marcos Tavares – idealizador e membro da diretoria do projeto casa rosa;

Melissa Navarro – Diretora colegiada da Associação Lésbica Feminista de Brasília – Coturno de Vênus.

Michel Platini –   tradutor de LIBRAS, fundador do primeiro sindicato da categoria no Brasil.

Pietra Sousa  – cantora, compositora, instrumentista e intérprete; 

Monica Monteiro – integrante do coletivo Mães pela Diversidade;

Raykka Rica – artista transformista e produtora cultural;

Dione Bigode – bancário do Banco do Brasil e integrante do coletivo interno LGBTs BB.

Skip to content