Professores(as) e outros servidores(as) vão às ruas denunciar atraso dos salários

                 IMG_6328           IMG_6315
Mesmo de férias, categoria docente sai às ruas para mostrar à população a situação precária que a Educação está vivendo. Na manhã desta terça-feira (13), mais de 100 professores(as) se somaram a outros(as) servidores(as) do Governo do Distrito Federal (GDF) e participaram da ação unificada organizada pela Central Única dos Trabalhadores de Brasília (CUT-Brasília) no Gama e na Ceilândia.
No Gama, mais de 50 professores(as) se uniram a representantes do SAE, da CUT-Brasília e de outros sindicatos e realizaram uma carreata, com buzinaço, entre o Centro de Ensino Médio (CEM) 02 até a Rodoviária, no Setor Oeste. Distribuíram mais de três mil panfletos e contaram com a solidariedade da população.
“Em todos os lugares que passamos e panfletamos, a população compartilhou da nossa indignação e se mostrou solidária, aprovando uma futura greve, caso a nossa categoria venha a deflagrar uma paralisação. Convidamos a todos e todas para o Ato Público Unificado da Classe Trabalhadora previsto para ocorrer no dia 16 de janeiro, em frente ao Palácio do Buriti”, disse Cleber Ribeiro, diretor do Sinpro.
Dali, seguiram para o Restaurante Comunitário, local em que puderam também conversar com a comunidade. No Gama, os dirigentes sindicais e representantes da categoria foram subsidiados por um carro de som, cuja gravação denunciava os atrasos de pagamentos e o descaso do atual governo.
Durante a panfletagem, os(as) participantes observaram a boa recepção da comunidade e a disposição para o diálogo. Muitos se mostraram também indignados com o fato de o governo não pagar o trabalho já executado.
Na Ceilândia, a ação unificada também foi um sucesso. O diretor do Sinpro Júlio Barros contou que mais de 60 pessoas, entre professores(as) e servidores(as) públicos(as) associados a outros sindicatos ligados ao GDF realizaram uma panfletagem no centro da Ceilândia.
Entregaram dez mil panfletos entre a Feira Central, o comércio local e os semáforos. Após essa atividade, saíram com o carro de som por todo o centro de Ceilândia esclarecendo os motivos do movimento e pedindo a solidariedade e a compreensão da população até mesmo para uma possível paralisação no primeiro dia letivo.
“A atividade foi exitosa e tivemos uma recepção muito boa por parte da comunidade. As pessoas abordadas compreenderam bem qual era a nossa causa. Encerramos o ato público reunindo todos(as) que estavam panfletando e o caminhão de som bem no coração de Ceilândia, que é a feira, com um ato público”, conta Júlio Barros, diretor do Sinpro.
Nesta quarta-feira (14), a panfletagem ocorrerá na Rodoviária de Planaltina, a partir das 10h. O Sinpro convoca toda a categoria para participar desta atividade, sobretudo os(as) docentes que residem na própria Planaltina e nas regiões administrativas adjacentes.

Skip to content