Professores de Taguatinga exigem vacina para todos em carta aberta endereçada a Ibaneis

A inabilidade do Governo do Distrito Federal em gerir a crise sanitária que assola o DF vem impondo a manifestação dos diversos setores sociais. Nessa quarta-feira (7), o colegiado de professores do Centro de Ensino Médio Taguatinga Norte (CEMTN) endereçou ao governador Ibaneis Rocha e outros agentes públicos do DF carta aberta  reivindicando a ampliação da fiscalização necessária para conter os casos de transmissão da covid-19 e a vacinação em massa da população local.

O documento inicia com a apresentação da evolução histórica da doença no DF no último período, apontando a crescente geométrica dos casos de infecção e morte pelo vírus que pode ser combatido com vacina. No texto, o grupo também pede o cumprimento do Plano de Contingenciamento de controle e combate à Covid-19 no Distrito Federal, “com uma atuação de controle mais enérgico quanto às restrições das pessoas em se aglomerar sem o uso de máscara e de álcool em gel”. Os professores ainda afirmam que é urgente “aquisição de vacinas para toda a população do Distrito Federal, que tem estado refém da expedição mínima das vacinas vindas do Governo Federal”.

“A pergunta que fica e deverá ser respondida aos cidadãos do Distrito Federal e às famílias que perderam os seus entes queridos é: Quem responderá pelas mortes já existentes e advindas pela ausência de vacina para toda a população do Distrito Federal?”, diz trecho da carta aberta.

O colegiado de professores do Centro de Ensino Médio Taguatinga Norte também apresenta algumas medidas que visam ao controle dos casos de covid-19, como ampliação do horário para a vacinação, contemplando toda a população do DF; o cumprimento da lei distrital 6.753/2020, que remete ao Poder Executivo do DF o dever de “adotar todas as providências necessárias, em caráter de urgência, para vacinar a população residente do Distrito Federal”; ampliação do lockdown no DF e suspensão das aulas presenciais na rede privada de ensino.

A carta aberta elaborada pelo grupo de professores da rede pública de ensino dá peso à campanha “Ibaneis, cadê a vacina?”, do Sinpro-DF. Lançada no dia 16 de março, a iniciativa exige que o governador do DF, Ibaneis Rocha, respaldado pela lei federal Nº 14.125/2021, realize a compra direta de vacina contra a covid-19 e imunize toda a população do DF. Desde o lançamento da campanha, o Sinpro-DF publicou dezenas de materiais em suas redes sociais, marcando o governador. Através da plataforma Educação Faz Pressão, do Sindicato, a categoria envia, diariamente, mensagens ao governador exigindo a compra da vacina. Entretanto, até agora, Ibaneis não fez qualquer comentário quanto ao urgente pedido.

Na contramão do apelo social, nessa segunda-feira (5/4), Ibaneis Rocha, em pronunciamento público ao lado do presidente Jair Bolsonaro, disse: “Vou saudar meu presidente da República, eu chamo de meu porque tenho o prazer de dizer, com toda a tranquilidade, que sou um apoiador do governo Bolsonaro”. Desde o início da pandemia, Bolsonaro vem sabotando as medidas preventivas para coibir a transmissão da covid-19 indicadas por autoridades da área de saúde, fazendo discursos sem máscara, chamando a pior doença do século de gripezinha, fazendo pouco caso com as milhares de vítimas da infecção, espalhando desinformação (fake news) sobre a doença e orientando a população brasileira a fazer “tratamento precoce” contra a covid-19 com uso de cloroquina, medicamento comprovadamente ineficaz para o tratamento de covid-19.

 

 

Skip to content