Professora Maria Madalena Torres recebe título de Cidadã Honorária de Brasília

Nesta sexta-feira (29), a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) entregará o título de Cidadã Honorária a professora Maria Madalena Tôrres, em reconhecimento à sua trajetória de vida e relevância do seu trabalho, sempre pautado no coletivo e em prol da educação.

A homenagem que acontece logo mais, às 19h, é uma iniciativa do deputado distrital Chico Vigilante (PT). A solenidade acontecerá no auditório do Centro de Ensino Médio 04, de Ceilândia, localizado à EQNN 14, Área Especial, Ceilândia-DF, escola em que Madalena concluiu o Ensino Médio.

Maria Madalena Torres, filha de Maria Pereira Torres e Emiliano de Torres Quintanilha, é Professora aposentada da Secretaria de Estado de Educação (SEE/DF). Graduou-se em Filosofia pela Universidade Católica de Brasília (UCB), tem especialização em Formação de Professores e mestrado em Tecnologias na Educação, ambos, cursados na Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (FE/UnB).

Em 1986, iniciou sua experiência na alfabetização de jovens e adultos pelo “método” Paulo Freire, no Núcleo Paulo Freire de Alfabetização de Adultos. Em 1989, foi sócia-fundadora do Centro Educação Paulo Freire de Ceilândia (Cepafre), do qual integra a diretoria como voluntária. Também participa da coordenação coletiva do Movimento Popular por uma Ceilândia Melhor (Mopocem), do Grupo de Trabalho Pró-Alfabetização – GTPA/ Fórum EJA – DF e dos programas de extensão da UnB, Centro de Memória Viva (CMV) e Grito Social das Águas.

Integrou o grupo de professores colaboradores do Curso de Pedagogia para professores em Exercício no Início de Escolarização (PIE), na parceria SEE/DF com a FE/UnB (2001- 2004); na Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão, do Ministério da Educação (Secadi/MEC), de 2004 a 2006 e no Curso de Pedagogia à distância para professores do estado do Acre (2007/2008). É uma das personagens do livro “Memórias do Distrito Federal – A luta pela autonomia política” (2009).

Também teve sua história registrada no livro Mulheres Inspiradoras (2015), das autoras Gina Vieira Pontes e Vitória Régia de Oliveira Pires, no artigo escrito pela Professora Vânia Rêgo, intitulado: “Maria Madalena Torres, nosso diamante negro mais precioso”. Sua biografia foi citada na Revista Darcy Ribeiro, “50 personagens que dão vida à universidade – Em cinco momentos de uma grande história”, em comemoração aos 55 anos da Universidade de Brasília, cujo artigo é denominado “Chuva, lama, sol e poeira” (2017). Sua biografia foi registrada no livro Memórias do Distrito Federal: A luta pela autonomia política (2009).

Além disso, é autora de vários artigos na área de educação, cinema, movimentos sociais, e em novembro de 2018, publicou seu primeiro livro: “O cinema como linguagem na alfabetização de jovens e adultos trabalhadores”, pela editora ArtLetras.

Para Danielle Estrela, atual presidente do Cepafre “Madalena é dessas pessoas que passam por nossas vidas e deixam sempre um aprendizado. Além de ter uma dedicação descomunal, é uma das pessoas mais sinceras e humanas que já conheci. De fato, faz a diferença por onde passa”, afirmou.

 

 

 

Skip to content