Projeto Cozinha Solidária do MTST ganhou prêmio da Unicef

O projeto Cozinha Solidária, idealizado e realizado pelo MTST – Movimento dos Trabalhadores Sem Teto – com apoio de entidades parceiras e contribuições individuais, ganhou o prêmio Desafio da Infância Saudável, promovido pela Unicef, o Fundo das Nações Unidas para a Infância.

A iniciativa surgiu em 2021, em meio à pandemia da covid-19, como um esforço do movimento para o combate à fome – problema profundo que estava ainda mais acirrado naquele momento, graças ao descaso do governo de Bolsonaro. Desde então, já são 31 cozinhas solidárias em 10 estados e no DF, que já distribuíram mais de 1,5 milhão de marmitas, oferecendo alimentação balanceada a setores vulneráveis da sociedade.

O MTST empenha recursos próprios e doações recebidas na coordenação das ações, na compra de alimentos e de estrutura para as cozinhas. Em cada estado, entidades parceiras se somam à inciativa. A produção e distribuição das refeições são feitas pelos próprios moradores de cada comunidade.

Cozinha Solidária no DF

No DF, há duas Cozinhas Solidárias em funcionamento. Em Planaltina, a cozinha foi instalada em abril de 2021; e, no Sol Nascente, em junho do mesmo ano. O Sinpro é parceiro do projeto no DF, junto com a CUT-DF e o Sindicato dos Bancários.

“É uma iniciativa importante e louvável. Já que o governo Bolsonaro não apenas não cumpriu seu papel, mas também aprofundou os fatores de vulnerabilidade da população que vive nas periferias, os movimentos sociais assumem o papel de contribuir para as comunidades em que se inserem”, saúda Rodrigo Rodrigues, presidente da CUT-DF, entidade parceira na construção da Cozinha Solidária no DF. “O combate à fome deve ser uma ação prioritária, porque é condição básica para a garantia da cidadania e da dignidade do nosso povo. Sem se alimentar, ninguém pode lutar pelos seus direitos”, completa Rodrigo.

Soberania alimentar e geração de renda

O reconhecimento internacional vem coroar uma fórmula simples, mas que faz profunda diferença na vida das pessoas atendidas e na daquelas que participam do projeto de alguma forma. Além de combater a insegurança alimentar nas regiões periféricas, as cozinhas se propõem a ser um espaço de formação profissional, contando com professoras e formadoras voluntárias que ajudam na profissionalização, empregabilidade e geração de renda para pessoas da base do movimento. As cozinhas solidárias também promovem o cultivo de hortas urbanas comunitárias nas proximidades para fornecerem alimentos para as próprias cozinhas e, sempre que possível, para doação às comunidades próximas.

Todos os espaços são construídos em mutirões que unem moradores da região, militantes do MTST e de movimentos parceiros, além de voluntários que colaboram com a manutenção dos espaços, organização das filas e distribuição das marmitas. O prêmio concedido pela Unicef em dezembro último rendeu ao projeto 100 mil dólares (mais de R$ 530 mil) para expandir suas ações.

Clique AQUI para assistir à reportagem do Jornal Nacional sobre o projeto Cozinha Solidária do MTST.

Seja apoiador(a) do projeto

Para contribuir para as Cozinhas Solidárias, acesse o site de vaquinha virtual: https://apoia.se/cozinhasolidaria. Se preferir, as doações também podem ser feitas via pix ou transferência bancária. Os dados são:

Associação Cidade Para Todos
Chave pix: 28.799.171/0001-41
Banco: Itaú
Agência: 8170
Conta: 30682-6
CNPJ: 28.799.171/0001-41

Para saber mais, acesse o site: https://www.cozinhasolidaria.com/.