Por que há sofrimento no trabalho?

O Sinpro-DF convida você a entender essa questão,  por isso, lança a pesquisa “A dor da gente”. Colabore com este importante estudo e ajude o Sinpro a investigar as causas do adoecimento da categoria.

Participe! Em apenas 20 minutos você responde a pesquisa completa. Assim, será possível juntar informações científicas que comprovem os fatores que levam ao adoecimento, entender a origem do problema e dar o primeiro passo na luta rumo a uma solução.

 

“Coopere e nos ajude a divulgar nossa pesquisa entre a categoria. Queremos montar esse quebra-cabeça. Com base nas respostas coletadas poderemos encontrar a melhor forma de convencer o governo a promover mudanças e buscar soluções que beneficiem a todos nós e toda rede pública de ensino no DF. Contamos com a colaboração dos professores e orientadores educacionais para responder esta  pesquisa”, convidou o diretor da Secretaria de Assuntos de Saúde do Trabalhador do Sinpro, Alberto de Oliveira Ribeiro.

 

SOBRE A PESQUISA

 

Problemas como estresse, ansiedade, problemas de voz, fadiga e depressão são apenas alguns dos distúrbios que acometem diariamente as trabalhadoras e trabalhadores em educação em todo país. Entretanto, existe um fator multicausal para o adoecimento massivo vivenciado na categoria Magistério. Foi pensando nisso que a diretoria colegiada do Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF) resolveu lançar a pesquisa A dor da gente

Trata-se de um estudo que visa investigar como as relações de trabalho influenciam a saúde dos(as) professores(as) e orientadores (as) educacionais. Usando como objeto de estudo a dinâmica dos relacionamentos entre os pares, com os(as) gestores, as condições de trabalho e o suporte oferecido pela Secretaria de Educação.

A pesquisa será coordenada pelo Núcleo de Trabalho, Psicanálise e Crítica Social da Universidade de Brasília (UnB). Na coleta de dados será utilizado o Protocolo de Riscos Psicossociais Relacionados ao Trabalho (Proart). Esse Protocolo permite o levantamento dos indicadores do trabalho que atuam na gênese de patologias, tendo como unidades de análise os modelos de gestão, a organização do trabalho, os riscos de sofrimento patogênico e os danos físicos, psicológicos e sociais. A pesquisa poderá ser feita por via eletrônica e, para participar, basta acessar o site do Núcleo da UnB:  www.trabalhovivo.net.

 

 

 

 

 

 

 

 

Skip to content