PLC do Espanto é suspenso por ordem judicial

Um mandado de segurança pedido pelos deputados distritais Ricardo Vale e Wasny de Roure, ambos do PT, suspendeu a votação do Projeto de Lei Complementar (PLC) 122/2017, o PLC do Espanto. O pedido foi acolhido pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), o que cancelou a votação que seria realizada durante a tarde desta terça-feira (05).

 
No momento que a suspensão da votação foi anunciada, vários(as) professores(as), orientadores(as) educacionais e diretores do Sinpro comemoraram. Outros parlamentares que têm trabalhado para que o projeto não tramite na Casa sem que haja debate com a categoria também celebraram, reforçando a necessidade de um debate amplo com os educadores e com o sindicato.
A liminar que cancelou a votação foi entregue pelo deputado Wasny de Roure ao presidente da CLDF, Joe Valle.
Os professores permanecem reunidos na CLDF para receber os informes da diretoria do Sinpro, que analisa os desdobramentos desta ação. Diante disto, o sindicato pede que a categoria permaneça atenta para os próximos passos da liminar e para os próximos passos da Câmara Legislativa.

 
Tumulto
Antes da votação vários professores e orientadores aguardavam do lado de fora da Câmara Legislativa. Sem motivo, policiais legislativos iniciaram um tumulto, momento que um professor foi detido. Neste momento a direção do Sinpro está conversando com os seguranças da Casa e com o deputado Joe Valle, com o objetivo de liberar o professor.

Skip to content