Pela segunda vez, em 2015, GDF atrasa pagamento das férias

Os(as) professores(as) da rede pública de ensino do Distrito Federal amanheceram, neste sábado (17), sem receber, pela segunda vez, o pagamento das férias. As férias estavam marcadas para serem iniciadas no dia 5 de janeiro e, arbitrariamente, foram alteradas pelo novo governo para serem iniciadas no dia 19.
Com a mudança da data, curiosamente, o Governo do Distrito Federal (GDF) promove o segundo atraso de pagamento no mesmo ano. Os(as) professores(as) que deveriam tê-las recebido no dia 2 de janeiro, e não receberam, aguardavam o pagamento desse direito 48 horas antes do seu início, na noite do dia 16/1, o que não ocorreu.
Em vez de efetuar o crédito desse pagamento, ao longo desta semana, o que o governo fez foi apresentar um cronograma de parcelamento do pagamento das férias e de outros direitos trabalhistas atrasados, Antes disso, porém, houve, como primeiro movimento, a truculência da modificação do calendário escolar e, como segundo, a infração à Lei Orgânica do Distrito Federal e à Lei Complementar 840/2011, que não permitem que o(a) trabalhador(a) receba da forma que o governo quer impor à categoria.
Após o ato público realizado pela CUT-Brasília, na sexta-feira (16), o governo marcou nova reunião, às 14h30, no Palácio do Buriti, com a comissão de negociação do Sinpro e com os dirigentes a CUT-Brasília para discutir os pagamentos atrasados.
O Sinpro-DF convoca toda a categoria para a vigília nesta segunda-feira (19), às 13h30, na Praça do Buriti,  durante a realização dessa reunião. A vigília ocorrerá no mesmo local em que está instalado o acampamento promovido pela CUT-Brasília, desde o dia 9 de janeiro, contra a falta de pagamento dos direitos atrasados e de negociação com as categorias de servidores(as) do GDF.
Professor e professora, venham para a vigília e para o acampamento fortalecer a nossa luta! Somente com unidade é que conquistaremos vitórias!

Skip to content