Novo Calendário Escolar é apresentado em plena alta da pandemia

Em reunião com a SUPLAV durante a manhã desta terça-feira (09), a Comissão de Negociação do Sinpro foi informada pela Secretaria de Educação do Distrito Federal de uma proposta de consulta pública para a recomposição do Calendário Escolar de 2020. Segundo a secretaria, os(as) interessados(as) poderão se manifestar fazendo a sua escolha por e-mail.

Para a diretoria do sindicato, uma consulta pública, onde as sugestões serão feitas por e-mail, não garante a participação de todos(as) e não anula a falta de estrutura para que muitos(as) estudantes possam voltar às aulas por meio de ensino remoto. No último mês o Sinpro apresentou uma pesquisa feita com mães, pais e responsáveis por estudantes da rede pública de ensino, onde revela que mais de 100 mil estudantes da escola pública não assistiram a nenhuma Teleaula disponibilizada pela programação da Secretaria de Estado e ficarão fora da plataforma.  

Clique aqui e confira o Calendário.

 

Volta às aulas em momento crítico da pandemia

A exemplo dos pais, mães e dos(as) professores(as) e orientadores(as) educacionais, o Sinpro questiona a volta às aulas e o retorno do ano letivo em um momento tão delicado quanto este, quando a pandemia está em alta. Mas o sindicato apontará as falhas e analisará a forma como estas aulas serão dadas e o conteúdo repassado aos(às) estudantes. Um dos questionamentos é qual alternativa será apresentada para atender os mais de cem mil alunos que a pesquisa apresenta e que não tem as ferramentas necessárias para o modelo de educação mediada por tecnologia.

No projeto de Calendário apresentado pela Secretaria de Educação, infelizmente não conseguimos visualizar estes estudantes que não terão acesso à plataforma, tendo em vista que ninguém pode prever quando o Distrito Federal terá as condições necessárias para o retorno às aulas presenciais.

O Sinpro solicitou uma reunião com as demais subsecretarias responsáveis pelas áreas envolvidas no plano de retorno às aulas, uma vez que a comunidade escolar e as escolas têm apresentado inúmeros questionamentos, dúvidas e apontado fragilidades a respeito desta proposta. Já temos uma reunião prevista para a próxima sexta-feira (12), mas solicitamos uma antecipação com estas áreas entendendo a urgência das respostas que estão deixando a categoria apreensiva.

Skip to content