Nota de falecimento | Professor Geovane Santoli

A diretoria colegiada do Sinpro-DF comunica, com tristeza, pesar e revolta, o falecimento precoce do professor de música Geovane Santoli. A morte ocorreu na manhã de sábado (6/2), em Porto Seguro, Bahia, onde o professor passava suas férias.

 

Em nota à comunidade acadêmica, a direção de CEMEIT informou que o sepultamento ocorreu às 15h, deste domingo (7), em Porto Seguro, terra natal do professor. “Perdemos um grande mestre que há 2 anos ensina arte, música e teatro em nossa escola. Idealizador da Banda Meia Lua e ganhador do prêmio do Festival de Música de Taguatinga (FIMT), prof. Geovane se empenhou em cativar estudantes por meio do seu dom. É sem dúvidas, uma grande perda para todos nós!”, diz a nota.

 

Também enlutada, a diretoria se sente revoltada com as condições da morte do professor Geovane. Ele foi vítima da política de violência que toma conta do Brasil. Os jornais da Bahia informaram que ele foi morto com um tiro no rosto por uma bala perdida na praia de Coroa Vermelha. Segundo informações do site “O Baiano”, a morte ocorreu durante um tiroteio na região, na sexta-feira (5), sendo o professor atingido pela bala perdida.

 

Ele foi socorrido no Hospital Luís Eduardo Magalhães, mas não resistiu e faleceu no sábado (6). “Num país de violência cada vez mais crescente, a prioridade apresentada ao Congresso Nacional pelo presidente Jair Bolsonaro, no início desta semana, foi o Projetos de Lei (PL) nº 6.438/2019, que amplia o direito ao porte de armas para qualquer civil e o PL nº 5.417/2020, que autoriza propagandas de armas de fogo na televisão.

 

A diretoria se solidariza com a família, colegas de trabalho, amigas, amigos, estudantes e lembra que a única “arma” capaz de defender uma população é uma educação pública de qualidade, o desarmamento total da população e uma política em defesa da vida.

 

Skip to content