Nota de apoio à greve dos(as) profissionais de educação do estado do Rio de Janeiro

A Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação – CNTE, representa em torno de 4 milhões de profissionais da educação básica do Brasil. Defende a educação pública de qualidade, democrática, laica e que respeite seus profissionais.
Os/as profissionais de educação do Estado do Rio de Janeiro iniciaram uma greve por tempo indeterminado no dia 02 de março, tendo como principais reivindicações reajuste salarial, contra as propostas de mudança no sistema previdenciário dos servidores estaduais enviadas pelo Governo Estadual à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, pelo retorno do calendário anterior de pagamentos, pelo fim do parcelamento de salários, e pagamento integral do décimo terceiro salário (parcelado em cinco vezes). Esses/as trabalhadores/as, com o apoio dos alunos que também se mobilizam na greve, exigem melhores condições de trabalho, infraestrutura adequada nas escolas e recomposição do quadro de professores.
A CNTE se solidariza com os/as profissionais de educação do Estado do Rio de Janeiro que começam a ver resultados de sua pressão com a retirada pelo Governo do Projeto de Lei que propunha mudanças no sistema previdenciário estadual.
Reafirmamos a luta do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do RJ – SEPE pela manutenção de direitos, pela democratização da educação, pelo respeito aos/as profissionais da área, por salários decentes, por condições dignas de trabalho.
A educação precisa ser prioridade dos governos na prática. Essa primazia passa pela valorização dos seus profissionais, que devem ser tratados com respeito e dignidade.
Por educação de qualidade em todos os níveis!
Brasília, 09 de março de 2016. 
Roberto Franklin de Leão 
Presidente

Skip to content