Nota da diretoria || Desomenagem da Band News aos professores

Na véspera do Dia do Professor, a Band News presta uma desomenagem à categoria docente. O acusado de extorsão por Ricardo Suad nas delações da Friboi no processo da Lava Jato, Cláudio Humberto, jornalista da Band News, usou o espaço que ele tem na mídia comercial, o qual é concedido pelo Estado às empresas de comunicação social, para desqualificar serviços e servidores(as) públicos(as).

O objetivo único dele, que é pago para isso, e da grande mídia, que também representa a elite empresarial antinacionalista, é desdenhar para privatizar o sistema público de educação e demais serviços, como fizeram com o Sistema de Seguridade Social para os banqueiros abocanharem as contribuições da Previdência Social.

Na sua coluna da Band News desta segunda-feira (14/10), ele teve mais uma de suas infelizes e oportunistas falas divulgadas pelas ondas da rádio, uma das mídias que atuam para privatizar tudo o que existe no Brasil. Falou mal da “semana do saco cheio”, chamou os professores do magistério público de preguiçosos, de incompetentes e questionou dia letivo móvel.

Parece que o jornalista tem o costume de cometer a chamada barrigada, que é veicular notícia falsa como sendo verdadeira. Nesse caso dos professores da rede pública, foi mais uma dessas. Ele cometeu a barrigada de falar sem conhecimento dos dias letivos móveis, previstos no calendário escolar do ensino público.

Talvez não seja do conhecimento do jornalista, mas na rede pública de ensino do DF há um calendário escolar, construído democraticamente pelo Governo do Distrito Federal (GDF) e comunidade escolar, que é cumprido rigorosamente. A semana do saco cheio já está prevista e não compromete a prestação do serviço público de educação.

Nesta semana, está previsto não ter aulas nos dias 14, 15 e 16 e, nos dias 17 e 18, o calendário prevê uma flexibilização caso a comunidade escolar opte por antecipar as aulas ao longo do ano letivo. Assim, os estudantes do DF e do Brasil têm direito às aulas, que estão asseguradas no calendário escolar, e à semana de recesso.

Na opinião da diretoria do Sinpro-DF, o comentário do jornalista faz parte do roteiro cinematográfico da mídia comercial que, de olho no dinheiro do Orçamento público, tem atuado, intensivamente, durante mais de 60 anos, para desqualificar os serviços e servidores e públicos, tentando, diuturnamente, usar os fatos para jogar as pessoas contra o funcionalismo e causar a impressão de que os serviços são mal realizados.

O jornalista é o tipo da pessoa que atua contra o Estado público, cujos recursos deveriam estar aplicados serviços públicos de qualidade, como saúde, educação, previdência, seguridade social, criação de emprego e renda, moradia e demais direitos fundamentais da sociedade e não sendo desviado os bilhões e até trilhões de reais, como pretende a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, para os banqueiros e rentistas por meio de um canal de desvio de dinheiro público denominado “dívida pública” e para uma mídia, por meio de elevadas verbas institucionais de publicidade.

Vale a pena ver o comportamento do jornalista da Band News em outros locais:

Acusação contra Claudio Humberto provoca mal-estar no Grupo Band

Skip to content