Nomeações de orientadores e professores: uma conquista que advém da luta

    Esta semana, a notícia da convocação dos(as) aprovados(as) nos concursos de 2014 e 2016 da Secretaria de Estado de Educação representou uma grande vitória para todos(as).  Para categoria, que há anos espera pelas nomeações, para o Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF), que lutou e acompanhou de perto esta luta e, pincipalmente, para a população, que necessita de investimentos na educação pública.

    Ao todo, foram contemplados(as) 287 orientadores(as) educacionais, sendo 249 da lista geral e 38 para as vagas destinadas às pessoas com deficiência, admitidos(as) no certame de 2014. Também foram chamados(as) 54 professores(as) da Educação Básica aprovados(as) no concurso de 2016, que vão preencher vagas nos componentes curriculares de Biomedicina, Eletrônica, Eletrotécnica, Enfermagem, Informática, Letras/Japonês, Matemática e Odontologia.

     

     

     

     

    Ato público pela nomeação dos concursados realizado em janeiro de 2018

     

    Esta conquista foi alcançada logo após o início das negociações sobre a pauta de reivindicações da categoria, em que o Sinpro mostrou ao governo que existe déficit de orientadores(as) na rede.  Em resposta, o GDF informou que até o limite de validade do concurso, em 9 de maio, serão chamados(as) mais 234 orientadores(as).

    A diretora do sinpro-DF Letícia Montandon explica que essas nomeações são fundamentais. Hoje, muitas escolas não tem a figura do(a) orientador(a) e as convocações vão corrigir essa distorção, principalmente, após a segunda remessa. A sindicalista relembra que os(as) novos(as) servidores terão muitos desafios.

    “Apesar de que a próxima chamada ainda não é suficiente para suprir a necessidade, já conseguiremos ver os resultados positivos. No momento atual, com a explosão da violência, o papel do(a) orientador(a) é justamente, trabalhar em conjunto com a equipe escolar na resolução de conflitos e na mediação entre professores(a) e estudantes para tentar diminuir os índices”, ressalta.

    Para a diretoria colegiada do Sinpro-DF, a vitória é fruto da insistência e da luta conjunta do sindicato e do magistério por mais nomeações. E esse entendimento pode ser comprovado pelos próprios aprovados(as).

     

    A professora Lilian Lesley explica que prestou o concurso  com objetivo de ajudar a melhorar a qualidade do ensino. Ela reafirma que a orientação educacional é um setor essencial para o sucesso da educação. “Em maio de 2014 fiquei muito feliz em ter sido aprovada no concurso de orientador, porém, a governo anterior fez a alegria virar angústia, pois o gestor não tinha nenhum compromisso com a educação nem com o serviço público, tanto, negligenciou o concurso durante os quatro anos de mandato. Durante toda essa espera, sempre participei dos encontros e das lutas do Sinpro. Agradeço a toda diretoria do sindicato por todo apoio e espero sempre poder ajudar na luta”, concluiu.

     

    A nomeada Gláucia de Castro Barbosa, 40 anos, professora em Goiás,  participou de diversas lutas como, reuniões, assembleias e eventos convocados pelo sindicato para sensibilizar o governo anterior sobre a importância do orientador educacional.

    “Diante dos problemas enfrentados no contexto escolar, cada vez mais, comprovamos a importância desse segmento nas escolas, pois o orientador é o profissional que tem a responsabilidade de mediar conflitos e aproximar a escola e a família.  O Sinpro sempre esteve presente nas lutas e negociações com o governo em prol das nossas nomeações. A sensação que sinto com a notícia da convocação  é indescritível. É um sonho realizado. Depois de quase quatro anos, a fila enfim começou a andar e espero que aconteçam mais nomeações, para que possamos fortalecer ainda mais a orientação educacional e contribuir para os avanços na educação pública no DF”, explica.

    Já o professor Rogério Assumpção, 51 anos, nomeado para o cargo de orientador educacional reafirma que toda  a luta em prol das nomeações foi feita pelos concursados e pelo Sinpro.

     

    “Eu participei e acompanhei de todas as mobilizações convocadas por esse aguerrido sindicato que nunca nos abandonou. Agora, vou cumprir minha função com muito carinho, dedicação e amor, mas sei que a luta em defesa da educação sempre será constante e vou sempre buscar dar o meu melhor e continuar no enfrentamento por um ensino de qualidade. Nossa função vai além dos muros da escola e temos que abrir ainda mais o leque de trabalho para garantir  mais conquistas e valorização”, afirma.

     

    O diretor do sinpro-DF Luciano Matos parabeniza os(as) nomeados(as) e relembra que as convocações representam avanço para toda a categoria. “Sem dúvidas, a noticia das nomeações é algo que devemos comemorar. Eu, enquanto orientador educacional, entendo a necessidade e importância dos(as) orientadores(as) para a educação.  Fiquei muito feliz orgulhoso de acompanhar da luta dos concursados e, agora, poder ver de perto essa conquista é muito gratificante. Com a chegada desses profissionais passaremos a ter mais qualidade no ensino. A diretoria colegiada do Sinpro dá as boas-vindas a cada um e cada uma e parabeniza por essa vitória.  Estamos ansiosos com o dia da posse e a luta a partir de agora é para que o governo cumpra o prometido e convoque a segunda remessa de aprovados(as)”, concluiu o dirigente.