Mundo se aproxima de 1 milhão de mortos. Brasil deve passar 140 mil nesta sexta (25)

Brasil tem mais de 4,6 milhões de pessoas contaminadas com o novo coronavírus e média diária de mortes nos últimos 7 dias foi de 693

notice

O mundo se aproxima da marca de 1 milhão de mortos por Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, mas o número pode ser ainda maior em razão da subnotificação. Já são 983.751 vidas perdidas em todo o planeta, de acordo com a Universidade Johns Hopkins (JHU), dos EUA.

Nos Estados Unidos e no Brasil, as duas nações mais afetadas pela pandemia, os presidentes Donald Trump e Jair Bolsonaro negaram a crise, fizeram ironias e propaganda de remédios sem eficácia desde o início da pandemia.

Em números absolutos, o Brasil é o segundo país do mundo com mais mortes, atrás apenas dos EUA que registram 200 mil vidas perdidas pela Covid-19. Nesta sexta-feira (25), o Brasil chegou a 139.931 mortes, segundo dados do consórcio de imprensa, e deve ultrapassar ainda hoje à marca de 140 mil óbitos pela doença. E o total de casos foi para 4.660.358.

Às 20h desta quinta-feira (24), segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil tinha 4.657.605 brasileiros contaminados pelo novo coronavírus, 32.814 novos casos em 24 horas, e 139.808 mortes, sendo 831 em 24 horas.

A média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 693 óbitos, uma variação de -1% em relação aos dados registrados em 14 dias. Já a média móvel de casos foi de 28.924 por dia, uma variação de 3% em relação aos casos registrados em 14 dias.

Oito estados apresentaram alta nas mortes por Covid-19 nesta quinta-feira (24). Amazonas (24%), Amapá (43%), Bahia (17%), Minas Gerais (19%), Piauí (16%), Rio de Janeiro (40%), Rio Grande do Norte (22%) e Roraima (118%) tiveram alta na variação da média móvel de mortes nos últimos 14 dias.

Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente estão nove estados:Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará, Tocantins, Maranhão, Paraíba e Pernambuco.

Nove estados maus o DF apresenta queda: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Espirito Santo, Distrito Federal, Mato Grosso, Acre, Rondônia, Alagoas, Ceará e Sergipe.

BH suspende volta às aulas

O prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD-MG) oficializou nesta quinta-feira (24) a decisão para impedir a volta às aulas na capital mineira. A medida vem um dia após o governo de Minas Gerais anunciar a liberação para o retorno das atividades letivas presenciais a partir de 5 de outubro.  O prefeito suspendeu o alvará de funcionamento de todas as instituições de ensino da cidade.

De acordo com o decreto, a suspensão valerá “por tempo indeterminado”. O prefeito justificou a medida pelo fato de que crianças e jovens costumam se manter assintomáticos quando contaminados e a “necessidade de aprofundar nos estudos e discussões para que as aulas escolares presenciais sejam retomadas com segurança para alunos e professores”.

O decreto também lembra o impacto que o retorno das aulas teria nas taxas de isolamento social da cidade, além de colocar em risco os idosos, que estão no grupo de risco.

O estado de Minas Gerais ultrapassou 7 mil mortes pelo coronavírus 15 dias.

Amazonas

No primeiro estado a registrar caos no atendimento de casos de Covid-19, o aumento de novos casos acendeu o sinal de alerta das autoridades do Amazonas. Depois de três meses de atingir pico da pandemia, a capital amazonense volta a fechar bares, escolas, casas noturnas, clubes, flutuantes, praias e balneários a partir desta quinta (25). A capital enfrenta uma nova tendência de aumento de casos e recua na flexibilização dos serviços não essenciais.

Manaus chegou a ter média de mais de 60 mortes diárias e corpos enterrados em covas coletivas o início da pandemia. O decreto do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), ainda restringe o funcionamento de restaurantes e lojas de conveniência, que agora só podem ficar abertos até as 22h, limitando ainda o público de feiras e exposições.

Ao mesmo tempo em que o governador anuncia o fechamento de bares, mantém a retomada das aulas presenciais no ensino fundamental das escolas da rede estadual de Manaus desde o dia 30 de setembro. Os estudantes do ensino médio voltaram às aulas presenciais em 10 de agosto. As aulas na rede privada retornaram ainda em julho.

No interior do estado ainda não há previsão para a retomada das aulas da rede pública.

São Paulo se aproxima de 1 milhão de casos

São Paulo, estado que lidera em número de casos e mortes no país desde o início da pandemia, se aproxima da marca de 1 milhão de casos confirmados de novo coronavírus. Nesta quinta-feira (24), 958.240 casos e 34.677 mortes por Covid-19 foram divulgadas pela Secretária estadual de Saúde do Estado.

Em 24 horas o estado registrou 185 mortes e 6.267 novos casos. Há 9.310 pacientes internados em todo o estado em casos suspeitos ou confirmados do novo coronavírus, sendo 4.017 em estado grave.

Outros estados

O Rio de Janeiro é o segundo estado com o maior número de mortes por Covid-19, com 18.037 óbitos. Em seguida estão Ceará (8.882), Pernambuco (8.110) e Minas Gerais (6.983).

As Unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (635), Acre (653), Amapá (698), Tocantins (901) e Mato Grosso do Sul (1.217).

Confira no mapa a situação em todo o país:

 

Reprodução: CUT

Skip to content